Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Economia: BC e o crescimento expressivo das exportações brasileiras

O Banco Central informa que as exportações brasileiras apresentaram expressivo crescimento. Confira dados relevantes!

O Banco Central do Brasil informa o desempenho regional das exportações brasileiras (2000-2020). Conforme divulgação oficial do Banco Central, ao longo das últimas duas décadas, as exportações brasileiras apresentaram expressivo crescimento em contexto de transformação na composição de sua pauta e de seus mercados de destino. 

Banco Central informa que as exportações brasileiras apresentaram expressivo crescimento

Sendo assim, uma importante consequência desse processo foi a desconcentração regional das exportações, com aumento da participação das regiões Centro-Oeste e Norte e redução das regiões mais industrializadas (Sudeste e Sul). Conforme divulgação do BC, esses dados representam uma nova configuração das exportações brasileiras.

Expansão concentrada na primeira metade do período (2000-2020)

 As exportações brasileiras, medidas em dólares, cresceram, 7,0% a.a. entre 2000 e 2020, com expansão concentrada na primeira metade do período, quando atingiu média anual de 13,8%. 

Assim sendo, nos últimos dez anos, a taxa de crescimento média anual caiu para 0,6% a.a. O crescimento das vendas de produtos básicos (11,9% a.a.) foi determinante para a expansão das exportações nas últimas duas décadas. Em sentido oposto, entre 2010 e 2020, o baixo dinamismo das vendas de manufaturados, que recuaram 23,4%, em valor, na comparação entre os extremos, explica, em boa medida, a menor expansão das vendas externas. 

Conforme divulgação do BCB, os desempenhos dessas classes de produtos levaram à inversão das suas participações nas exportações totais no período analisado, enquanto a de semimanufaturados apresentou alteração pouco expressiva.

Aumento significativo da participação de produtos básicos em detrimento de manufaturados

O aumento significativo da participação de produtos básicos em detrimento de manufaturados deveu-se, em grande parte, ao crescimento acentuado de um reduzido grupo de produtos da pauta, que somados representaram 56% das exportações brasileiras em 2020 (22% das vendas externas em 2000).

Segundo o BC, tal elevação da participação de básicos foi impactada tanto pelo aumento dos preços das commodities no mercado internacional, sobretudo a partir de 2011, quanto pelos seus crescentes embarques em volume, em especial para a China.

A participação chinesa é ainda mais elevada na exportação brasileira

De mercado de destino pouco expressivo em 2000, o país ganhou participação crescente ao longo das últimas duas décadas, passando a responder isoladamente por quase um terço das exportações brasileiras em 2020. 

De acordo com o documento do BC, entre os principais produtos de exportação do país, a participação chinesa é ainda mais elevada, sendo destino para quase três quartos das exportações de soja e de minérios de ferro. 

A evolução das exportações brasileiras nas últimas duas décadas resultou em concentração em produtos básicos e em mercados de destino (China). Entretanto, essa mesma tendência concentradora da pauta e de mercados provocou movimento de desconcentração regional das exportações em favor das regiões Centro-Oeste e Norte, em detrimento das regiões Sul e, sobretudo, Sudeste.

Gradual processo de concentração dos destinos

Em síntese, o período 2000-2020 apresentou um gradual processo de concentração dos destinos e dos produtos exportados pelo país. Regionalmente, contudo, houve desconcentração com ganho de participação do Norte e Centro-Oeste, em detrimento das regiões mais industrializadas, informa o BCB. É possível consultar o documento oficial na íntegra no site oficial do Banco Central do Brasil.

5/5 - (1 vote)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.