Bolsonaro pode liberar 2 parcelas do auxílio de R$600

De acordo com informações do próprio Congresso Nacional, o objetivo geral do texto é exigir que o Governo faça um pagamento complementar todos os anos para o público que recebe esse benefício.

Atualmente, o Senado Federal debate a criação de um 13º salário para os usuários do Auxílio Brasil, que está sendo pago no valor de R$400. De acordo com informações do próprio Congresso Nacional, o objetivo geral do texto é exigir que o Governo faça um pagamento complementar todos os anos para o público que recebe esse benefício.

Em caso de aprovação, o valor do 13º salário do Auxílio Brasil seria dividido em duas parcelas. O benefício chegaria a R$600 no mês de junho e R$600 no mês de dezembro. Sendo assim, seriam incrementados mais R$400 na conta dos trabalhadores, divididos em duas parcelas de R$200, uma no meio do ano e outra no fim do ano.

Auxílio Brasil com duas parcelas de R$600

A proposta foi apresentada pelo Senador Alexandre Silveira (PSD-MG). De acordo com ele, o pagamento do 13º salário para os usuários do Auxílio Brasil aconteceria basicamente nos mesmos moldes legislativos dos repasses do complemento para os trabalhadores com carteira assinada ou segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“É um projeto que tem que ser abraçado por todos. O próprio presidente da República teve como uma de suas promessas de campanha fazer um pagamento extra, a título de 13º, para os beneficiários do Bolsa Família”, disse o Senador. Ele lembrou que o Governo Federal chegou a fazer a liberação do complemento na antiga versão do projeto.

“Agora, quando temos um novo benefício, o Auxílio Brasil, precisamos renovar este anseio”, diz o texto oficial do projeto registrado no site oficial do Senado Federal. Ainda não há previsão de data de análise deste documento no Senado. Entretanto, há a possibilidade que ele caminhe um pouco mais nesta semana.

Como consultar o Auxílio Brasil

Inicialmente, o Governo Federal irá enviar duas cartas: uma com orientações sobre o benefício e outra com o cartão. No entanto, se a família ainda não recebeu a correspondência pode conferir por meio de seu CPF.

Assim, a consulta pode ocorrer por meio do número do CPF do responsável pela unidade familiar da seguinte forma:

  • Primeiramente, o cidadão deve ter o aplicativo Auxílio Brasil. No momento de baixá-lo, é importante verificar aquele que contém como desenvolvedor oficial a Caixa Econômica Federal. Isso é essencial para não baixar um app falso e cair em golpes;
  • Após o app ser instalado, escolha a opção “Fazer login”;
  • Preencha suas informações de login, com o número de seu CPF e senha;
  • Após efetuar o login, então, o painel do aplicativo irá apresentar as principais informações sobre o programa, por exemplo, a aprovação, saldo disponível, número do NIS, calendário e chat para tirar dúvidas.

Ademais, a consulta sobre o pagamento também poderá ser realizada nos seguintes locais:

  • Terminais de autoatendimento;
  • Casas lotéricas;
  • Agências bancárias;
  • Correspondentes credenciados Caixa Aqui;
  • Por fim, também é possível verificar sua situação pelo Atendimento Caixa ao Cidadão, com o número de telefone 111.

Resumindo, para verificar se foi contemplado pelo programa, basta acessar o aplicativo do Auxílio Brasil e informar o número do CPF. A plataforma está disponível para download em aparelhos com sistema Android e iOS.

Governo vai pagar auxílio em maio

Os pagamentos de maio do Auxílio Brasil devem começar oficialmente no próximo dia 18. Na ocasião, o Governo Federal fará a liberação da quantia para as pessoas que possuem o Número de Inscrição Social (NIS) final 1.

De todo modo, não é necessário realizar nenhuma espécie de solicitação direta para entrar no programa. De acordo com o Governo Federal, assim como aconteceu nos meses anteriores, em maio não haverá nenhum processo de inscrição.

Ministério da Cidadania seguirá se baseando em dados já existentes em plataformas de informações. A principal delas é o Cadúnico, que reúne os nomes de brasileiros que estão em situação de vulnerabilidade social neste momento.

5/5 - (2 votes)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.