Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial pode ter menos pessoas durante a prorrogação

O pagamento da terceira parcela do benefício chega ao último grupo do calendário hoje, 30 de junho, enquanto poderá diminuir de público na prorrogação.

A Caixa Econômica Federal encerra hoje, quarta-feira, dia 30 de junho, todos os depósitos referentes à terceira parcela do Auxílio Emergencial de 2021.

Assim, quantia se disponibilizará ao mesmo tempo para os inscritos que nasceram nos meses de novembro e dezembro. Além disso, também chegará aos beneficiários participantes do Programa Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) de fim 0. 

Nesse sentido, é importante lembrar que as valores pagos pelo benefício correspondem a R$ 150 (para que mora sozinho), R$ 250 (famílias com dois ou mais integrantes) ou R$ 375 (para mães chefes de família). 

Saques em dinheiro serão no futuro

Se tratando do Programa Bolsa Família, a quantia já está disponível para o saque imediato em todas as agências da Caixa Econômica e nas lotéricas.

No entanto, os demais trabalhadores do benefício, sejam eles informais, autônomos e também desempregados apenas contarão com o saque adiante. Portanto, eles poderão realizar o saque dos valores a partir do dia 16 de julho (aniversariantes de novembro) e 19 de julho (aniversariantes de dezembro). 

Dessa forma, enquanto a realização do saque em espécie da quantia não tem liberação da Caixa, os trabalhadores poderão movimentar os valores através do aplicativo Caixa Tem. Então, por meio dele é possível realizar diversas operações. Por exemplo, o pagamento de contas e boletos por meio de transferência ou utilizando o cartão de débito digital. 

Além disso, os cadastros dos participantes do Auxílio Emergencial que não são do Bolsa Família ocorreu pelo aplicativo oficial do benefício, pelo site da Caixa Econômica Federal ou pelos Correios. Ademais, é importante lembrar que entrada destes beneficiários aconteceu durante o ano de 2020. Isso porque a entrada de novos participantes não é mais permitida pelo Governo Federal.

Participantes do Bolsa Família passaram a receber mais com o Auxílio Emergencial

Para os beneficiários que participam do programa social de transferência direta de renda e do Auxílio Emergencial, há a liberação do valor mais vantajoso. Isto é, aquele que ofereça a maior compensação financeira ao cidadão inscrito. Assim, a regra fez com que cerca de 9,77 milhões estejam recebendo o Auxílio Emergencial, pois ele possui maior valor quando em comparação ao Bolsa Família. 

Ademais, de acordo com o Ministério da Cidadania, o valor total da folha de pagamentos do mês de junho foi de R$ 2,92 bilhões. Isso significa, então, um benefício de valor médio de R$ 305,86. 

Nesse sentido, a maior parte dos cidadãos que recebe o benefício assistencial do Governo Federal se forma por mulheres chefes de família (50,9%). Em seguida aparecem os participantes que recebem a quantia de R$ 250 (33,4%) e, por último, os que moram sozinhos (15,7%).

Auxílio Emergencial pode sofrer redução de participantes durante a prorrogação

Aproximadamente 39,1 milhões de cidadãos brasileiros vem recebendo as parcelas do Auxílio Emergencial neste momento. É o que mostra os dados oficiais do Ministério da Cidadania. Contudo, há a dúvida sobre a possibilidade do crescimento de usuários se tratando da prorrogação. 

Sobre o assunto, estima-se ser mais provável que aconteça o contrário. O Governo Federal ainda não se pronunciou sobre o assunto de forma oficial, mas tudo indica que o número de participantes aptos a receberem as novas parcelas pagas do Auxílio Emergencial irá cair. Nesse sentido, o fato aconteceria devido ao aumento da fiscalização realizada pela Dataprev. 

Ocorre que o órgão é responsável em realizar uma análise mensal antes de cada rodada de pagamento. Dessa maneira, a intenção é de identificar possíveis fraudes e pagamentos indevidos referentes ao benefício assistencial.

Assim, aqueles cidadãos que forem identificados cometendo alguma irregularidade sofrerão o cancelamento do benefício. No entanto, eles ainda podem recorrer da decisão através do pedido de contestação, disponível no site da Dataprev.  

Ainda assim, a grande maioria de participantes com bloqueio dificilmente retornam ao programa. Portanto, vê-se que é mais provável que o número total de beneficiários diminua com o andamento das novas parcelas pagas.  

Além disso, os cidadãos que não estão participando do Auxílio Emergencial e nem do Programa Bolsa Família ainda mantinham uma esperança sobre a possibilidade da entrada de novos beneficiários durante o pagamento das parcelas em extensão. Contudo, é muito pouco provável que isto ocorra.

Bolsonaro se manifestará em breve

Segundo Paulo Guedes, atual ministro da Economia, o presidente Jair Bolsonaro deve comentar sobre o assunto de maneira oficial em breve. Então, o chefe do executivo deverá dar mais detalhes sobre a prorrogação do Auxílio Emergencial. 

Ademais, alguns pontos já são conhecidos por todos os participantes. Assim, o programa deverá ganhar mais três parcelas. Em adição, sabe-se que os valores devem continuar os mesmos, ou seja, R$ 150, R$ 250 e R$ 375, variando de acordo com a constituição familiar de cada participante. 

Mesmo assim, algumas questões ainda precisam de um esclarecimento maior do Governo. Por exemplo, ainda falta saber se a inclusão de novos beneficiários será permitido, mesmo que isso ainda pareça bem pouco provável.

Não recebeu o Auxílio Emergencial? Dataprev libera pedido de contestação até sábado, 03 de julho

O Governo Federal anunciou que o prazo para a realização do pedido de contestação do Auxílio Emergencial irá até o próximo sábado, dia 03 de julho.

Recentemente, segundo o Ministério da Cidadania, cerca de 3 mil beneficiários que realizaram o procedimento tiveram inclusão na folha de pagamento do benefício. Desse modo, o procedimento pode se realizar através da internet e, então, possibilitar a entrada do trabalhador no benefício.

Como realizar a contestação?

Para iniciar o procedimento de revisão, é necessário que o titular acesse a página de consulta do Auxílio Emergencial. Disponível através do endereço digital https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta/#/. 

Assim, ao abrir o site, o trabalhador deverá fornecer alguns dados pessoais. Isto é, nome completo, número de CPF, data de nascimento e nome completo da mãe. 

Em seguida, depois do preenchimento destes dados será necessário que o interessado realize a confirmação da consulta para receber a negativa. Então, o participante deverá solicitar o pedido de contestação, confirmando seu interesse em solicitar o pedido de revisão. 

Normalmente, o prazo de resposta varia entre 15 e 30 dias, dependendo do andamento da análise do Governo. De acordo com o Ministério da Cidadania, espera-se que cerca de 2 milhões de pedidos tenham a análise da Dataprev. 

“Temos realizado uma operação abrangente, no sentido de que o auxílio emergencial seja pago à população mais vulnerável do país, e muito criteriosa, para evitar fraudes e repasses indevidos”, afirmou o ministro da Cidadania, João Roma.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.