Concurso AFT: mais de 300 mil inscritos farão as provas neste domingo (05/05)

Concurso AFT: mais de 300 mil inscritos farão as provas neste domingo (05/05)

Candidatos aprovados poderão ser nomeados em até três meses.

Edital do concurso oferta 900 vagas para Auditores Fiscais do Trabalho.

Mais de 300 mil candidatos realizarão as provas para o cargo de Auditor Fiscal do Trabalho.

A seleção integra o Concurso Nacional Unificado (CNU), cuja prova está prevista para ser realizada neste domingo, dia 05 de maio.

Ao todo, são oferecidas 900 vagas imediatas e efetivas com salários que passam dos R$ 22 mil.

A concorrência, porém, é alta. Considerando o número de inscritos e o total de vagas ofertadas, a demanda é de 333 inscritos para cada vaga.

Confira mais informações sobre o certame a seguir:

Quais as vagas do concurso AFT?

As vagas para o concurso de Auditores Fiscais do Trabalho pertencem ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e integram o Concurso Nacional Unificado.

Todas as oportunidades são para candidatos que possuem nível superior completo e pertencem ao bloco 4, área de Trabalho e Saúde do Servidor.

Clique aqui para ler o edital do bloco 4 na íntegra.

Qual o salário dos aprovados no concurso AFT?

O salário inicial dos aprovados no concurso AFT é de R$ 22.921,71, além do vale alimentação no valor de R$ 658.

Concurso AFT: mais de 300 mil inscritos farão as provas neste domingo (05/05)
Candidatos aprovados poderão ser nomeados em até três meses. Imagem: Divulgação

Como serão as provas do Concurso AFT?

As provas do concurso AFT serão realizadas dentro do CNU, portanto, seguirão o mesmo cronograma e conteúdo programático.

A prova objetiva, comum para todos, será realizada no dia 05 de maio de 2024.

Nesse mesmo dia, serão realizadas as provas objetivas de conhecimentos gerais, comuns a todos os candidatos inscritos, independentemente do cargo escolhido, além de provas de conhecimentos específicos e prova dissertativa que irão variar de acordo com cada área.

Após a primeira fase, os candidatos poderão ainda ser submetidos (a critério dos órgãos ou por determinação legal de carreiras específicas) a etapas de avaliação de títulos, experiência profissional, apresentação de memoriais, provas práticas, entre outras.

Para realizar a classificação final dos candidatos, a banca irá medir o desempenho de cada candidato na prova, além de considerar também a ordem de preferência para os cargos que o candidato apontou no momento da inscrição.

As provas serão aplicadas em dois turnos, conforme segue:

Matutino (2h30 de prova)

  • nível superior: provas objetivas de conhecimentos gerais (20 questões) + prova discursiva de conhecimentos específicos do bloco.
  • nível médio: provas objetivas (20 questões) + redação.

Vespertino (3h30 de prova):

  • nível superior: provas objetivas de conhecimentos específicos (50 questões).
  • nível médio: provas objetivas (40 questões).

Confira a seguir as demais datas do CNU:

  • Divulgação dos resultados das provas objetivas e preliminares das provas discursivas e redação: 03/06/2024
  • Divulgação Final dos Resultados: 30/07/2024
  • Início da Convocação para posse e Cursos de Formação: 05/08/2024

O que é o ENEM dos concursos?

Proposto pelo Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, o Concurso Nacional Unificado, apelidado de ENEM dos concursos, foi lançando em setembro deste ano e consiste, basicamente, em uma seleção onde os candidatos podem se inscrever e concorrer a diferentes vagas pagando apenas uma única taxa de inscrição.

A seleção unificada ainda tem como diferencial o modo de aplicação das provas. De acordo com o Governo Federal, o exame será aplicado a nível nacional, em 220 cidades, seguindo moldes parecidos ao do ENEM, por isso o nome.

O principal objetivo do Concurso Nacional Unificado é centralizar os diferentes concursos autorizados neste ano e agilizar o processo de seleção dos novos servidores em diferentes órgãos e entidades do governo federal.

O governo ainda pontua outros objetivos importantes do ENEM dos concursos:

  • Promover igualdade de oportunidades de acesso aos cargos públicos efetivos;
  • Padronizar procedimentos na aplicação das provas;
  • Aprimorar os métodos de seleção de servidores públicos, de modo a priorizar as qualificações necessárias para o desempenho das atividades inerentes ao setor público;
  • E zelar pelo princípio da impessoalidade na seleção dos candidatos em todas as fases e etapas do concurso.

Quais são as vagas do Concurso Nacional?

  • Advocacia-Geral da União (AGU): 400 vagas;
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL): 40 vagas;
  • Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS): 35 vagas;
  • Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ): 30 vagas;
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai): 502 vagas;
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): 895 vagas;
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra): 742 vagas;
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP): 50 vagas;
  • Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa): 520 vagas;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI): 296 vagas;
  • Ministério da Cultura (MinC): 50 vagas;
  • Ministério da Educação (MEC): 70 vagas;
  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) e Transversais: 1.480 vagas;
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP): 130 vagas;
  • Ministério da Saúde (MS): 220 vagas;
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC): 110 vagas;
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO): 60 vagas;
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE): 900 vagas;
  • Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) 40 vagas;
  • Ministério dos Povos Indígenas (MPI): 30 vagas;
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC): 40 vagas;

Candidatos aprovados poderão ser nomeados em até três meses

O Governo Federal deseja que os candidatos aprovados no CNU sejam convocados para posse em até três meses após a divulgação dos resultados finais.

De acordo com o secretário de Gestão de Pessoas do Ministério de Gestão e Inovação, José Celso Cardoso, a ideia é que essa se torne a regra para os concursos realizados no Brasil.

“Teríamos uma espécie de banco de candidatos pré-aprovados, que já teriam prestado a seleção e estariam aptos a assumir os cargos. Nesse caso, a seleção seria mais rápida e em três meses teríamos pessoas trabalhando”, explicou o secretário.

Atualmente, o prazo entre a aprovação do candidato até a nomeação é de aproximadamente um ano, já que o processo para a posse é caro e trabalhoso, envolvendo a abertura de processo e definição de orçamento, o que não acontecerá no novo modelo proposto pelo governo federal.

“No caso dos cargos que não têm cursos de formação, os aprovados poderão ser nomeados no mês subsequente à divulgação de resultados. Entretanto, reiteramos que essa é uma decisão dos órgãos”, reiterou o ministério.

Sob a organização da Fundação Cesgranrio, o CNU terá a nomeação dos candidatos, segundo o cronograma do concurso, programada para agosto, mas, conforme explicou o secretário, apenas para os cargos que não exigem curso de formação. Para esses casos, a convocação está prevista para agosto de 2024.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.