Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

3.6/5 - (13 votes)

Salário mínimo de 2023 terá novo aumento; veja o valor

Caso a estimativa esteja correta, o salário mínimo de 2023 terá um aumento de R$ 81, ou seja, poderá chegar a R$ 1.293. No entanto, trata-se apenas de uma previsão, podendo haver várias mudanças no INPC no decorrer do ano.

Economistas já estão estimando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para definição de um novo salário mínimo. De acordo com a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, o percentual passará de 4,25% para 6,70%.

Caso a estimativa esteja correta, o salário mínimo de 2023 terá um aumento de R$ 81, ou seja, poderá chegar a R$ 1.293. No entanto, trata-se apenas de uma previsão, podendo haver várias mudanças no INPC no decorrer do ano.

Qual o valor do salário mínimo em 2023?

Segundo o índice previsto, o salário mínimo do próximo ano será ampliado para R$ 1.294. No entanto, é preciso lembrar que esse valor é uma estimativa, podendo haver mudanças no INPC até o fim de 2022.

Neste sentido, para que esse aumento ocorra de fato a inflação deve ultrapassar a média de 6,7%. Além disso, o Governo Federal deve manter a sistemática adotada em 2019, de reajustar o piso nacional no limite da inflação.

Sem ganho real no salário mínimo

O Governo Federal indica, com a correção do salário mínimo de acordo com o percentual do INPC, que não vai dar aumento real para os brasileiros. Na verdade, o aumento do salário é apenas uma reposição pela inflação. O que significa dizer que os trabalhadores apenas não perderão o poder de compra.

É como se o aumento do salário servisse apenas para compensar a capacidade de compra que o brasileiro tem. Na prática, o cidadão não vai deixar de conseguir comprar o que já comprava, mas também não vai poder aumentar mais.

Novo piso nacional impacta benefícios do INSS

O reajuste no salário mínimo não influencia apenas na vida dos trabalhadores assalariados, mas também impactam no valor dos benefícios concedidos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Outros setores impactados com a correção do piso nacional é o seguro-desemprego, abono salarial do PIS/Pasep e Benefício da Prestação Continuada (BCP-Loas).

Atualmente, o INSS atende mais de 36 milhões de segurados, sendo 24 milhões beneficiários que recebem um salário mínimo mensalmente e, 12 milhões que ganham mais que o piso nacional em vigência.

Contudo, é importante salientar que o teto do INSS também é influenciado pela definição do salário mínimo. Considerando a estimativa de 6,7%, no próximo ano o valor máximo disponibilizado pela autarquia será de R$ 7.168,22.

BPC

Também pago pelo INSS, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) concede mensalmente um benefício igual ao piso nacional aos cidadãos de baixa renda que são deficientes ou que tenham idade superior a 65 anos.

Seguro-desemprego

O seguro-desemprego é um auxílio pago aos trabalhadores demitidos sem justa causa. O valor mínimo disponibilizado é equivalente ao salário mínimo em vigência, por isto há uma correção monetária quando o piso é reajustado.

O benefício pode ser repassado entre 3 a 5 parcelas, a depender da quantidade de vezes que o cidadão já solicitou o auxílio. Além disso, o valor distribuído considera a média dos três últimos salários recebido pelo trabalhador.

Abono salarial PIS/Pasep

Diferente do item anterior, o abono salarial PIS/Pasep concede, no máximo, um benefício no valor de um salário mínimo. A quantia só é concedida quando o trabalhador exerce suas atividades durantes os 12 meses no ano-base.

Quando o período de trabalho for inferior aos 12 meses, o cidadão receberá um benefício proporcional ao tempo laboral. Neste caso, basta dividir o valor do piso nacional em 12, e considerar que cada parcela corresponde a um mês do ano. Depois, some cada uma de acordo com a quantidade de meses trabalhados.

3.6/5 - (13 votes)

Veja o que é sucesso na Internet:

13 Comentários
  1. Irene Diz

    Nós trabalhamos tanto Pra na nossa velhice ser humilhado por receber um salário mínimo de passar fome realmente é muito triste 😢

  2. Cleusa Diz

    FORA BOZO E SEUS SEGUIDORES FANÁTICOS DE MERDA

  3. Simone Oliveira Diz

    O salário mínimo teria que ser 1.500 e parar de subir o preço das coisas, pq n adianta nada aumentar o salário sendo q as coisas sobe o triplo 😤

  4. Adriana Diz

    Uma vergonha.
    O pobre já está virando miserável como nos anos 60

  5. Suely Onorato da Silva Diz

    Que bom que o salário mínimo vai subir mais a infração sobe acima do salário mínimo nós que depende do salário mínimo sofrer

  6. Maria de Lourdes Diz

    Aumenta salário mais preço das coisas sube antes não adianta nada pra quem ganha salário

  7. Adiel oliveira Diz

    Que adianta alimentar a porra do salário sendo
    Que os preços dos produtos sobe tudo junto
    Também 😤😤😤😤😤

  8. Lucas Guilherme Diz

    A economia do Brasil tá , tão maltratada, tão desregulada, que realmente, será muito difícil de colocar ela no eixo da normalidade. Porque para fazer a economia do Brasil ficar estável, teria que pelo menos tornar o aumento do salário mínimo ser compatível ou igual o aumento da inflamação, mas aí que surge o problema, o Brasil ia quebrar econômicamente. E para que tudo isso se resolva e o Brasil venha se tornar um país estável financeiramente, acessível economicamente, teria que ter um estudo sério e profundo na economia geral, e na inflação.

  9. Alex Rodrigues Diz

    Inflação em 40% ou até bem mais que isso e o aumento do salário mínimo uma decepção

  10. Jose Diz

    Em uma economia indexada ao dólar onde os preços de produtos e serviços aumentam de acordo com a variação desta moeda e depois de aumentado difícilmente baixão de valor, deveriam verificar como o IBGE calcula os índices do INPC, deveriam publicar todos os ítens e valores que entram nesta conta como também a fórmula utilizada, porque a perda real no poder de compra do Brasileiro é bem maior que a inflação divulgada e utilizada para o reajuste de salários de aposentados. Os reajustes estão longe de repôr o poder de compra.

  11. Abel Diz

    Eu acho que os economista di brasil ė analfabeto.ou nunca estudou matemática a inflaćão se for menos de 35 por cento eu como merda.vendo pela vida do assariado.ou seja 70 por cento dos brasileiros ganha salariio minimo. Poe quem vè isso vamos fazer um brasil sem mentiras isso de uns 20 anos a atraz só mentiras

  12. Fabiana Bento Diz

    Ainda tá e pouco pelo tanto de aumento das coisas,tá um absurdo esse salário mínimo tá dando nem comer pra direito

  13. Silvia Diz

    É uma piada de mal gosto este aumento , tudo para mostrar que houve um aumento , mas na verdade é uma grande vergonha para todo brasileiro que não é ignorante, paga imposto e vive como burro de carga, infelizmente ninguém aprendeu usar a sua grande arma o Voto. . Mas este é o Brasil gigante e rico por natureza e medíocre como nação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.