Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Professores de Minas Gerais entram em greve sanitária na próxima segunda-feira

Após a realização de uma assembleia on-line, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) decidiu por paralisar as atividades. Desse modo, os professores da rede estadual de Minas Gerais irão entrar em greve sanitária a partir da próxima segunda-feira, dia 12 de julho.

Conforme os docentes, a paralisação terá duração de 7 dias, com fim previsto para o dia 17 de julho. A data de início do movimento coincide com a data estabelecida pelo governo para a retomada das aulas presenciais. Na próxima semana, as escolas devem começar a receber os alunos dos anos iniciais do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio.

Docentes irão continuar com o ensino remoto

O sindicato já havia pedido aos pais que não enviassem os alunos às escolas por considerarem ‘imprudente’ a decisão de permitir aulas presenciais mesmo em escolas que ficam em municípios inseridos na Onda Vermelha, a fase mais restritiva do plano Minas Consciente.

Desse modo, a decisão do sindicato de realizar a paralisação se deu porque os professores são contra a volta das aulas presenciais neste momento. Os docentes não irão paralisar as aulas remotas, de modo que a greve só vale para escolas que convocarem o corpo docente para as aulas presenciais. 

A coordenadora-geral do Sind-UTE, Denise Romana, afirmou: “A escola precisa ser um lugar de acolhida, e não um lugar de medo de contaminação. Nós queremos retornar, sim, às aulas. Mas nós queremos retornar com garantias, com saúde, para que não representemos riscos para os nossos alunos, e nossos alunos não representem risco para nós”.

De acordo com o Sind-UTE, haverá uma nova reunião no dia 28 de julho, na qual os docentes devem avaliar a greve sanitária e tomar novas decisões quanto ao enfrentamento da situação.

Com informações do UOL.

E aí? Gostou do texto? Então deixe aqui o seu comentário!

Leia também SP: Governo de São Paulo altera regras para a volta às aulas presenciais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.