Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Brasil terá programa de 1º emprego

O Brasil deve criar um programa para apoiar o primeiro emprego de jovens. A declaração foi dada secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, durante sua fala na Organização Internacional do Trabalho (OIT).

“Para ajudar na transição para o mundo pós-pandemia, o governo brasileiro está próximo de anunciar medidas que incentivam o primeiro emprego de jovens por meio do pagamento de uma bolsa vinculada ao treinamento desses jovens por empresas privadas, evitando o que conhecemos como ‘efeito cicatriz’, que pode afetar a trajetória laboral daqueles que buscam a entrada no mercado de trabalho em um momento tão conturbado”, defendeu.

Primeiro emprego e o Bônus de Inclusão Produtiva

A iniciativa dita por Bianco deve ser o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) e Bônus de Incentivo à Qualificação (BIQ).

Pelo programa o jovem receberia uma bolsa e teria que, em troca, além de trabalhar fazer um curso de capacitação profissional.

A medida é também defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Inclusiva há uma confusão quanto de fato deve ser os valores. Entenda mais aqui. 

O ministro também já chegou a dizer que já teria até empresas interessadas em participar do programa voltado para o 1º emprego, principalmente dos jovens nem-nem (aqueles quem nem trabalham e nem estudam).

“Nós temos recurso para este ano, mas em vez de lançar contrato de seis meses, nós estamos tentando arrumar já a ponte para o ano que vem, para poder ser um contrato de um ano pelo menos. O jovem fica coberto por pelo menos um ano neste programa de treinamento. Treinamento com trabalho. Isso deve ser lançado também brevemente”, declarou Guedes em coletiva no mês passado.

Medidas já adotadas pelo governo

Além de falar do programa que pretende incentivar a contratação de jovens para o primeiro emprego, Bianco também citou medidas já realizada, entre elas o Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm). Programa que seria criado diante de uma reação enérgica do governo.

Sendo “elogiado por organismos internacionais em razão de sua capacidade de preservar tanto as vagas de trabalho, quanto a renda do trabalhador e a saúde financeira das empresas”, afirmou ele destacando que 10 milhões de empregos foram preservados no ano passado.

Veja aqui como calcular o BEm.

Auxílio emergencial 2021

No discurso o secretário também citou o pagamento do auxílio emergencial no ano passado, atingindo 60 milhões de pessoas, de acordo com ele.

E destacou a retomada tanto do BEm quanto do auxílio emergencial em 2021.

Ainda Bianco apontou a necessidade de reformas do sistema de supervisão normativa da OIT, “para aprimoramento e atualização do sistema de supervisão normativa que aumentem sua transparência e objetividade e evitem politização.

Sendo que o Brasil tem uma visão de administração “mais democrática, transparente e representativa, em todas as instâncias da OIT”, disse Bianco.

Além de destacar a necessidade de discussão escolha dos membros da OIT de forma “transparente, objetivo, inclusivo e participativo.”

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.