Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

BC: evolução regional do crédito no segundo trimestre de 2021

Banco Central aponta evolução regional do crédito no segundo trimestre de 2021. Confira dados oficiais sobre e economia nacional!

O Banco Central do Brasil aponta evolução regional do crédito no segundo trimestre de 2021. Conforme documento divulgado oficialmente pelo Banco Central do Brasil, o saldo das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) cresceu no segundo trimestre de 2021 impulsionado pelos empréstimos às pessoas físicas (PF), em linha com a retomada do consumo. Por conseguinte, o crédito às pessoas jurídicas (PJ) apresentou evolução moderada, com heterogeneidade entre as regiões, informa o BCB. 

Banco Central aponta evolução regional do crédito no segundo trimestre de 2021

Regionalmente, o Norte registrou a expansão mais acentuada do crédito PF (disseminada entre os estados da região), melhor resultado trimestral desde 2011.

De acordo com o BCB, embora de forma mais moderada, as demais regiões também apresentaram crescimento superior ao do segundo trimestre de 2020, em cenário geral de recuperação da atividade e do consumo, já que é preciso considerar a pandemia em todas as análises atuais, visto o impacto financeiro e econômico desse fator. 

O crédito PF mostrou perfis distintos

Assim sendo, o crédito PF mostrou perfis distintos de composição de modalidades por região. Nesse sentido, sobressaíram os empréstimos consignados, com maior proeminência no Norte e Nordeste. 

No Centro-Oeste, com alinhamento à dinâmica do agronegócio, os financiamentos rurais assumiram o protagonismo, enquanto nas regiões Sul e Sudeste registrou-se a aceleração mais relevante do crédito imobiliário. 

Heterogeneidade nas operações PJ

No que diz respeito às operações PJ, observou-se heterogeneidade, com maior expansão do crédito no Sul e no Norte, e contração no Sudeste (região que em junho de 2021 concentrava 58,3% dos empréstimos para o segmento). À exceção do Norte, a variação do saldo de crédito foi inferior à do segundo trimestre de 2020, diante de maiores estímulos contracíclicos para o crédito corporativo naquele período, informa o BCB em documento oficial.

A maior queda ocorreu no Rio de Janeiro, principalmente no ramo de petróleo da indústria de transformação, com o vencimento de parte dos empréstimos contratados ao longo do primeiro semestre de 2020. Houve amortizações também em outros estados, o que arrefeceu as taxas de crescimento do crédito corporativo, como na Bahia, em São Paulo e em Minas Gerais. 

BC aponta crescimento do crédito às empresas do Rio Grande do Norte e Espírito Santo

Assim sendo, em sentido oposto, destacou-se o crescimento do crédito às empresas do Rio Grande do Norte e Espírito Santo. No que se refere à abertura da carteira PJ por segmentos de tomadores, destacou-se o aumento nos empréstimos contratados pelo comércio, principalmente no âmbito atacadista. 

Segundo o BCB, sobressaíram, também entre abril e junho, o crescimento no volume de crédito à indústria no Sul, principalmente no segmento alimentício. Em contraponto, o financiamento à indústria de transformação diminuiu no Nordeste (especialmente nos segmentos químico e siderúrgico) e no Sudeste (principalmente no setor automobilístico), informa o Banco Central do Brasil em documento disponibilizado em sua plataforma oficial.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.