Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Banco Central divulga as estatísticas da produção agrícola brasileira em 2021

Banco Central divulga as estatísticas da produção agrícola brasileira em 2021. Confira dados relevantes que impactam na inflação!

De acordo com dados divulgados pelo Banco Central do Brasil, dentre as culturas brasileiras dentro do setor agrícola, destaca-se a cana-de-açúcar, com estimativa de queda na produção tanto por redução de área – concorrência com soja e milho, especialmente em São Paulo, Mato Grosso e Paraná – quanto pelo menor volume e irregularidade nas precipitações.

Banco Central divulga as estatísticas da produção agrícola brasileira em 2021

O BCB ressalta que as geadas e o frio intenso no Centro-Sul do país também afetaram a produtividade das lavouras e a qualidade do produto colhido, resultando em antecipação da colheita nas áreas atingidas, para estimular a rebrota e evitar maiores perdas na produção.

As adversidades climáticas ocorridas foram consideradas

Por outro lado, destaque para a produção de AL que deverá crescer 21,3% (área, 14,7% e rendimento médio, 5,7%). Ressalta-se que o 2º Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado em 19.8.2021, incorporou as adversidades climáticas ocorridas e ampliou a quebra projetada para a produção nacional de cana-de-açúcar (-9,5%, ante -4,0% no 1º Levantamento).

O Boletim Regional divulgado pelo BCB informa que a retração esperada na safra do Centro-Sul, região em que o período da safra é comum nas avaliações das duas entidades, passou de 4,6% para 10,6% em agosto, sugerindo que o IBGE deverá reavaliar e aprofundar o recuo na sua estimativa (-3,7% para o conjunto das UFs do Centro-Sul, no LSPA de julho).

Relatório aponta problemas climáticos com consequente redução da produtividade

 Em síntese, o BCB relata que a produção agrícola brasileira em 2021, apesar de favorecida pelos preços elevados das commodities que incentivaram o plantio, passou por problemas climáticos com consequente redução da produtividade.

 A soja, com colheita concentrada nos primeiros meses do ano, não foi afetada e deverá crescer significativamente, enquanto milho 2ª safra e cana-de-açúcar foram mais impactadas.

Cana-de-açúcar: cultura temporária de longa duração

Nas pesquisas Produção Agrícola Municipal (anual) e LSPA (mensal), ambas do IBGE, a cana-de-açúcar é considerada ‘cultura temporária de longa duração’. Pois o seu ciclo vegetativo ultrapassa doze meses e, por isso, as informações são computadas nas colheitas realizadas dentro de cada ano civil, a área plantada refere-se à área destinada à colheita no ano e a estimativa da produção considera as quantidades colhidas mês a mês. O BCB informa que essas informações estão no  Relatório da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Impactos na inflação dos preços dos itens básicos

Ademais, a comparação com os dados do IBGE não pode ser realizada diretamente, pois a avaliação da Conab considera a safra de cana-de-açúcar no intervalo de 1º de abril de um ano e 31 de março do ano seguinte. É possível obter a divulgação oficial do Banco Central em sua plataforma oficial. Certamente, essas informações impactam na inflação e, por conseguinte, no valor dos alimentos adquiridos pelo cidadão brasileiro. 

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.