Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Banco Central: juros, spread bancário e inadimplência

O Banco Central aponta elevação da taxa de juros, ao passo que a inadimplência se manteve estável. Confira os dados oficiais!

Conforme divulgado recentemente pelo Banco Central do Brasil (BCB), houve elevação da taxa de juros das concessões, ao passo que a inadimplência se manteve estável. Confira os dados oficiais!

Banco Central: juros, spread bancário e inadimplência

A taxa de juros das concessões atingiu 25,7% a.a. em fevereiro, com incremento mensal de 0,4 p.p. e de 5,9 p.p. em doze meses. Em linha, o spread bancário das concessões situou-se em 16,8 p.p., assinalando incrementos de 0,6 p.p. e de 1,2 p.p. na mesma ordem, informa o Banco Central do Brasil (BCB) através de divulgação oficial.

Operações de crédito: recursos livres e PJ

Nas operações de crédito com recursos livres, a taxa de juros alcançou 36,5% a.a. em fevereiro, elevações de 1,2 p.p. no mês e de 8,4 p.p. em doze meses. De acordo com o Banco Central do Brasil (BCB), nas operações com pessoas jurídicas, a taxa de juros situou-se em 21,5% a.a. (+0,1 p.p. no mês e + 7,7 p.p. em doze meses), enquanto nas operações realizadas com pessoas físicas, as taxas de juros atingiram 48,1% a.a. (+1,8 p.p. no mês e + 8,0 p.p. em doze meses).

A inadimplência se manteve estável 

Conforme informações do Banco Central do Brasil (BCB), a inadimplência da carteira de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN), que considera os atrasos superiores a 90 dias, permaneceu em 2,5% em fevereiro, mantendo-se estável no mês e aumentando 0,3 p.p. na comparação com o mesmo período de 2021. 

Esse desempenho resultou da estabilidade dos atrasos acima de 90 dias nas operações de crédito livre (3,3%) e da alta de 0,1 p.p. no crédito direcionado (1,4%), analisa o Banco Central do Brasil (BCB) em divulgação realizada na data desta publicação.

Agregados monetários

A base monetária somou R$402,2 bilhões em fevereiro, decréscimos de 3,8% no mês e de 2,2% em doze meses. No mês, papel-moeda emitido e reservas bancárias reduziram 0,6% e 15,5%, respectivamente.

As operações do Tesouro Nacional e derivativos

De acordo com o Banco Central do Brasil (BCB), entre os fluxos mensais dos fatores condicionantes da base monetária, impactaram de forma contracionista as operações do Tesouro Nacional (R$27,8 bilhões) e as com derivativos (R$28,4 bilhões). 

Diversos fatores impactam a economia

É relevante que o cidadão acompanhe os dados oficiais do Banco Central do Brasil (BCB) para que obtenha informações relevantes sobre o fluxo atual da economia e seus fatores externos.

Dessa forma, o cidadão poderá entender melhor o cenário atual e sua volatilidade, considerando que todos os fatores de forma direta ou indireta, impactam a economia e a inflação, chegando até os ítens básicos de consumo da população.

5/5 - (1 vote)

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.