Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio Brasil: Receber o auxílio emergencial garante acesso ao novo programa?

O novo programa deve contemplar os atuais beneficiários do Bolsa Família e incluir alguns beneficiários do auxílio emergencial 2021.

O Governo Federal deve implementar o Auxílio Brasil em novembro. O novo programa deve contemplar os atuais beneficiários do Bolsa Família e incluir alguns beneficiários do auxílio emergencial 2021.

Devido a isto, os segurados do coronavoucher estão se questionando sobre os requisitos de elegibilidade do Auxílio Brasil, uma vez que as famílias contempladas pelo BF serão automaticamente transferidas para o novo programa de transferência de renda.

Auxílio Brasil

De acordo com o Governo Federal, o Auxílio Brasil deve atender cerca de 16 milhões de famílias, incluindo as 14,6 milhões já atendidas pelo Bolsa Família. Do total previsto, aproximadamente 1,4 milhão serão selecionadas da folha de pagamentos da prorrogação do auxílio emergencial.

No entanto, vale ressaltar que existe uma fila imensa de cidadãos que atualmente se encaixam nos requisitos para receber o benefício do Bolsa Família, mas que ainda não tiveram o pagamento liberado devido a análise do Ministério da Cidadania.

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o auxílio emergencial proporcionou que 38,1 milhões de pessoas fossem “descobertas”, uma vez que se encontravam “invisíveis”. Essas pessoas são aquelas que não tinham carteira assinada e nem recebiam quaisquer benefícios do Governo.

Desta forma, os beneficiários do auxílio emergencial que estão aguardando a liberação do Auxílio Brasil, devem ficar atentos à divulgação das regras de concessão do novo programa social. Mas vale salientar, que precisam estar cientes que novos beneficiários surgiram no decorrer da seleção.

Embora a Medida Provisória que viabiliza a criação do Auxílio Brasil já esteja em trâmite no Congresso Nacional, poucos detalhes sobre o programa foram de fato esclarecidos. Isso porque, o texto passará por várias votações e consequentemente será alterado algumas vezes, até que todos os parlamentares fiquem de acordo.

Contudo, com relação ao procedimento de inscrição ao programa, a equipe da Cidadania informou que será obrigatório o registro no Cadastro Único de Informações Sociais (CadÚnico). Através desse sistema, o Governo irá selecionar os novos beneficiários do programa, conferindo, é claro, os requisitos e condições estabelecidas.

Veja também: Aumento no Bolsa Família não deverá estar previsto no Orçamento de 2022

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
1 comentário
  1. Zuleica Aparecida Diz

    Eu acho que não deveria , até porque se o governo quer se livrar do programa do governo Lula,deve entender que.o cadastro unico ,tbm foi criado por lula,por tanto o renda Brasil.nao deve selecionar as pessoas pelo cadastro unico.e sim migrar quem recebe o auxilio automaticamente para o renda Brasil,ou criar abertura de um cadastro de inclusão das pessoas diferenciado do cadastro unico para p renda brasil,dando assim uma oportunidade para as pessoas que não estam cadastrada no cadastro unico,tbm se escreverem para o renda Brasil.Dessa forma agiria com justiças com todos e ganharia mais popularidade para ser reeleito em2023

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.