Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Vacina da Janssen: Anvisa recebe pedido de uso emergencial

Nesta quarta-feira (24), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que recebeu o pedido de uso emergencial da vacina da Janssen, fabricada pela Jonhnson & Johnson, contra Covid-19.

Em seu site, a Anvisa comunicou que começou a analisar a documentação enviada. O prazo de 7 dias úteis para análise do pedido não leva em conta o tempo do processo em status de exigência técnica — quando a fabricante precisa responder questionamentos técnicos da agência reguladora.

Na semana passada, o governo federal garantiu a compra de 38 milhões de doses da vacina da Janssen por US$ 95 milhões. As primeiras 16,9 milhões de doses devem ser entregues no terceiro trimestre. Já as 21,1 milhões de doses restantes chegariam ao Brasil no quarto trimestre.

Até o momento, apenas duas vacinas contra Covid-19 tiveram uso emergencial aprovado no Brasil: a vacina de Oxford, desenvolvida pela AstraZeneca e de responsabilidade da Fiocruz no Brasil; e a CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac Biotech e fabricada pelo Instituto Butantan.

Além da vacina da Janssen, a Anvisa também analisa o pedido de uso da Sputnik V, desenvolvida pelo instituto de pesquisa russo Gamaleya. Na terça-feira (23), representantes da agência se reuniram com a União Química, que será responsável pela fabricação do imunizante no Brasil.

O acordo firmado pelo Ministério da Saúde prevê a entrega de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V até 30 junho — 400 mil em abril, 2 milhões em maio e 7,6 milhões em junho.

Vacina de Janssen é de dose única

Diferente da grande maioria dos imunizantes contra Covid-19 em uso no mundo, a vacina da Janssen funciona com uma única dose, facilitando a campanha de vacinação. Ela também pode ser armazenada em geladeira comum, o que melhora a logística de distribuição. Dessa forma, o imunizante pode cumprir papel importante no controle da pandemia de Covid-19.

“Uma vacina em dose única é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a melhor opção em cenários de pandemia”, disse Paul Stoffels, diretor científico da Johnson & Johnson A vacina pode “proteger potencialmente centenas de milhões de pessoas dos resultados graves e fatais da Covid-19”, completou.

A expectativa é que a Janssen, braço de imunizantes da Johnson & Johnson, fabrique 1 bilhão de doses da vacina até o final do ano.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

1 comentário
  1. WALERIAFERREIRA Diz

    É bem melhor seria a saída nessa pandemia uma única dose

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.