Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Tópicos importantes sobre a Guerra Civil Espanhola 

A Guerra Civil Espanhola durou entre 1936 e 1939. Todavia, para conseguir entender de fato o conflito é necessário ficar por dentro do contexto histórico. 

Esse importante período da história espanhola poderá ser cobrado no Enem, assim como nos demais vestibulares. Desse modo, vale a pena ficar ligado no assunto, acompanhe! 

Contexto Histórico da Guerra Civil Espanhola

A população espanhola viveu sob a ditadura de Miguel Primo Rivera entre 1923 e 1930. Seu governo era baseado no autoritarismo e no nacionalismo.  

Além disso, perseguiu comunistas e anarquistas, assim como mantinha o poder centralizado nas mãos do Estado. 

Todavia, Miguel Rivera renunciou ao cargo em 1930, passando o poder aos militares do rei Afonso XIII que desejava voltar ao regime da monarquia parlamentarista ou constitucional em todo o país. 

Sendo assim, convocaram eleições para 1931, entretanto, aconteceu uma enorme perseguição a comunistas e anarquistas pela elite conservadora espanhola, influenciados pelo catolicismo presente no país. 

A Segunda República foi instaurada em 1931 pelo líder Niceto Alcalá-Zamora. A Espanha enfrentou um enorme conflito ideológico que durou pelo menos até 1936. 

Conflito Ideológico

Em 1936, a República Espanhola passa a ser liderada por Manuel Azaña Diaz, que nomeia como primeiro-ministro o socialista Largo Caballero.

A insatisfação da população espanhola com a Segunda República levou a direita política e os conservadores ao golpe de Estado. 

Vale destacar que ao contrário do golpe dado por Rivera na década de 20, a direita enfrentou uma enorme resistência do Partido Comunista Espanhol (PCE) e do movimento anarquista. 

Nesse contexto foram criados dois grupos de combate a Guerra Civil Espanhola; são eles:

  • Frente Popular criado pela esquerda;
  • E o Movimento Social de direita, lideradas pelo general Francisco Franco. 

Francisco Franco

O general Francisco Franco teve inspiração no nazismo alemão e fascismo italiano para formar sua concepção política. 

Por isso, os chamados “Franquistas” eram contra o liberalismo e a democracia, afinal acreditavam que esses conceitos não cabiam na Espanha dos anos 30. 

Em síntese, ao longo da Guerra Civil Espanhola, os franquistas contaram com o apoio dos fascistas. Em contrapartida, a Frente Popular contou com o apoio de comunistas internacionais, sobretudo da União Soviética. 

Os dois lados recebiam armamentos e equipamentos de guerra e até mesmo soldados treinados. Para se ter uma ideia, a guerra contou com voluntários de vários cantos do planeta. 

O conflito acabou destruindo boa parte das cidades da Espanha. O conflito mostrou ao mundo uma introdução do que estava por vir com a Segunda Guerra Mundial. 

A Guerra Civil Espanhola chega ao fim quando o Movimento Nacional coloca um ponto final no conflito em 1939, liderado pelo general Francisco Franco. 

Franco, assumiu o poder entre 1939 e 1975. Depois do franquismo, foi restaurada a monarquia parlamentarista, modelo vigente até os dias de hoje 

E então, gostou da matéria? Não deixe de ler também – Segunda Guerra Mundial: 10 fatos que podem ser cobrados no ENEM

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.