Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Planejamento Financeiro e a Reserva de Emergência

Viabilizar um planejamento financeiro pessoal pode ser um desafio, pois requer uma análise aprofundada sobre a sua situação atual e uma mudança de hábitos.

O desafio do planejamento financeiro pessoal 

Viabilizar um planejamento financeiro pessoal pode ser um desafio, pois requer uma análise aprofundada sobre a sua situação atual e uma mudança de hábitos.

No entanto, não é possível viabilizar um planejamento financeiro, direcionar valores para uma poupança e amparar seus objetivos em curto, médio e longo prazo.

Independentemente da sua situação financeira atual é possível elaborar um planejamento para que faça controles pertinentes a sua rotina e melhore suas finanças. No entanto, esse planejamento requer análises, acompanhamentos e mudanças, por isso não é um processo linear.

Ausência de reserva de emergência nas situações não controláveis 

Muitos ficaram endividados no último ano por conta da situação financeira agravada pela pandemia causada pelo coronavírus. Segundo informações da Serasa mais de 64% dos indivíduos responderam a uma pesquisa informando que nunca realizaram nenhum tipo de planejamento financeiro.

Por isso, a ausência do planejamento pode ser um dos fatores que geram endividamento. Uma situação como a pandemia é um fator extremo quando pensamos em fatores externos não controláveis.

Faça o seu planejamento de forma simples e direcionada 

No entanto, essa situação financeira é agravada para as pessoas que não viabilizaram uma reserva de emergência em momento algum. Sendo assim, ao realizar um planejamento financeiro é importante que direcione valores para uma reserva de emergência para que possa lidar com situações externas, esperamos que não tão extremas como essa situação pandêmica.

Esse planejamento pode ser feito a qualquer momento, mesmo para uma pessoa que já está endividada é importante é que controle as finanças de rotina e direcione valores para sair das dívidas, ainda que seja aos poucos.

Mapeamento de suas finanças e seus custos fixos e variáveis 

Para isso, é necessário fazer um mapeamento da sua situação financeira, e esse mapeamento é corroborado pela análise de seus custos fixos e de seus custos variáveis.

Os custos fixos são suas contas de consumo referentes ao fornecimento de água, luz, telefone etc. Já os demais são seus custos variáveis. Posteriormente, você deve controlar os seus gastos de rotina e verificar quais são seus hábitos que podem ser modificados, gerando economia.

Dentro dos seus custos variáveis, é possível modificar hábitos, ainda que sejam mudanças relativamente pequenas.

Acordos e mudanças em hábitos de rotina

Assim você direciona valores para uma poupança a caráter de reservas de emergência. Posteriormente, você vai melhorando esse fluxo, bem como, é importante que você faça acordos de suas dívidas.

No entanto, esses acordos precisam também ser inseridos em seu planejamento financeiro pessoal. Dessa forma, ainda que seja aos poucos, você direciona as suas finanças para que possa alcançar seus objetivos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.