Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo fator previdenciário vai começar pelo INSS; veja o que muda na aposentadoria

Nesta semana, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a índice de mortalidade para o Brasil. O número é importante, uma vez que é usada como base para atualização do fator previdenciário, índice que diminui o valor de algumas aposentadorias.

A nova tabela do fator tem expectativa de ser divulgada até a próxima segunda-feira, 30 de novembro, e deve entrar em vigor na terça, 1º de dezembro.

Agora, com a reforma da Previdência, a nova tabela do fator previdenciário poderá afetar quem entrar na regra de transição do pedágio de 50% para se aposentar, de acordo com informações da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Vale destacar que o cálculo só afeta o valor da aposentadoria de quem ainda não está aposentado.

Quem já está aposentado não é afetado pela nova tabela.

Fator Previdenciário

O fator previdenciário, instituído pela Lei Federal 9.876/99, é uma fórmula matemática aplicada para definir o valor da aposentadoria do trabalhador junto ao INSS.

Sua proposição teve por objetivo controlar os gastos com a Previdência Social no país, desestimulando as aposentadorias precoces e/ou com pouco tempo de contribuição.

Na prática, segundo as regras estabelecidas pela legislação, aquele que deseja ter um benefício mais atrativo precisa trabalhar por mais tempo antes de se retirar do mercado formal. Neste artigo, trataremos especificamente sobre as características do fator previdenciário e como calculá-lo.

Como Calcular o Fator Previdenciário

Para calcular o fator previdenciário do INSS, utiliza-se uma fórmula matemática instituída pela Lei 9.876/99.

Com efeito, essa fórmula serve para definir o valor da aposentadoria por tempo de contribuição.

Assim, para o cálculo, são levadas em consideração as seguintes variáveis: o tempo de contribuição, a idade e a expectativa de sobrevida (esta última é elaborada anualmente pelo IBGE).

O fator previdenciário é individual para cada aposentado, pois dependerá dos fatores acima citados. A equação matemática utilizada é a seguinte:

f = Tc x a / Es x [ 1 + (Id + Tc x a) / 100 ]

A fórmula acima considera:

  • F: fator previdenciário;
  • Es: expectativa de sobrevida no momento do requerimento da aposentadoria;
  • Id: idade no momento da aposentadoria;
  • A: alíquota de contribuição que corresponde a 0,31.

Para fazer o cálculo, após saber o salário de benefício, basta multiplicá-lo pelo resultado do fator previdenciário para descobrir o valor da aposentadoria.

Portanto, quanto maior o tempo de contribuição e a idade, mais alto será o fator previdenciário, e, assim, maior o valor do benefício previdenciário.

Na prática, o trabalhador que deseja se aposentar com um valor mais alto, deverá trabalhar mais e ter idade mais avançada.

Ou seja, quanto mais novo você é, menor vai ser o fator previdenciário.

Destarte, quanto menor a idade, maior será o corte no valor do seu benefício de aposentadoria.

Todavia, o que muitos não sabem é que nem sempre a forma de calcular o fator previdenciário do INSS é a vilã das aposentadorias.

Isto porque pois quando o fator previdenciário for maior que 1, ele é positivo e o valor do benefício será aumentado.

Portanto, nesses casos, o aposentado será beneficiado pelo cálculo do fator previdenciário do INSS.

Como Calcular o Fator Previdenciário

Para calcular o fator previdenciário do INSS, utiliza-se uma fórmula matemática instituída pela Lei 9.876/99.

Com efeito, essa fórmula serve para definir o valor da aposentadoria por tempo de contribuição.

Assim, para o cálculo, são levadas em consideração as seguintes variáveis: o tempo de contribuição, a idade e a expectativa de sobrevida (esta última é elaborada anualmente pelo IBGE).

O fator previdenciário é individual para cada aposentado, pois dependerá dos fatores acima citados. A equação matemática utilizada é a seguinte:

f = Tc x a / Es x [ 1 + (Id + Tc x a) / 100 ]

A fórmula acima considera:

  • F: fator previdenciário;
  • Es: expectativa de sobrevida no momento do requerimento da aposentadoria;
  • Id: idade no momento da aposentadoria;
  • A: alíquota de contribuição que corresponde a 0,31.

Para fazer o cálculo, após saber o salário de benefício, basta multiplicá-lo pelo resultado do fator previdenciário para descobrir o valor da aposentadoria.

Portanto, quanto maior o tempo de contribuição e a idade, mais alto será o fator previdenciário, e, assim, maior o valor do benefício previdenciário.

Na prática, o trabalhador que deseja se aposentar com um valor mais alto, deverá trabalhar mais e ter idade mais avançada.

Ou seja, quanto mais novo você é, menor vai ser o fator previdenciário.

Destarte, quanto menor a idade, maior será o corte no valor do seu benefício de aposentadoria.

Todavia, o que muitos não sabem é que nem sempre a forma de calcular o fator previdenciário do INSS é a vilã das aposentadorias.

Isto porque pois quando o fator previdenciário for maior que 1, ele é positivo e o valor do benefício será aumentado.

Portanto, nesses casos, o aposentado será beneficiado pelo cálculo do fator previdenciário do INSS.

Quais aposentadorias são afetadas pelo fator?

Agora, com a reforma da Previdência, o fator passou a ser aplicado de duas maneiras:

  • para quem cumpriu os requisitos de aposentadoria por tempo de contribuição antes das mudanças começarem a valer, em 13 de novembro do ano passado;
  • para quem se aposentar pela regra de transição do pedágio dos 50%.

Pela nova regra de transição dos 50%, quem estava a dois anos de completar o tempo mínimo de contribuição de 30 anos, para mulheres, e 35 anos, para homens, em novembro de 2019, pode se aposentar sem cumprir a idade mínima estabelecida pela reforma.

No entanto, no momento que o benefício é calculado,, tem o desconto do fator e, quanto mais novo, maior o corte.

Aposentadoria Pós Reforma da Previdência

Quem for se aposentar de acordo com as novas regras da Reforma da Previdência, verá que o fator previdenciário vai eventualmente entrar em desuso. Isto porque a aposentadoria por tempo de contribuição deixará de existir.

Enquanto isso, foram criadas regras de transições para aqueles que estavam perto da aposentadoria. As regras de transição são as seguintes:

  • por pedágio 50%;
  • pedágio 100%;
  • por pontos;
  • por idade mínima.

Com efeito, essas regras valem para quem pretendia se aposentar por tempo de contribuição.

Ademais, a única regra de transição que utiliza o cálculo do fator previdenciário do INSS é a chamada regra do pedágio de 50%.

Assim, podem ter direito a ela os contribuintes que estavam há menos de dois anos de atingir o tempo de contribuição até a data da Reforma da Previdência, em 12 de novembro de 2019.

Dessa forma, homens com, no mínimo, 33 anos de contribuição, e mulheres com mínimo de 28 anos de contribuição, deverão cumprir o tempo adicional de 50% do tempo que estava faltando para atingir 35 se homem e 30 anos se mulher.

Veja também: SAIU! NOVA idade mínima de aposentadoria até o fim de 2020 no INSS

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
9 Comentários
  1. Gervasio santana de oliveira Diz

    Os políticos também teriam quê entrar nas regras dos trabalhadores mesmo pq alguns tem mais quê uma aposentadoria gorda isso é mais uma vergonha para o Brasil….vergonha palavra essa quê não tem no vocabulário deles…daqui a pouco o trabalhador vai se aposentar com 70 anos e não importará o tempo quê ele contribuiu com o país…ae morre com 71 anos e pronto.

  2. José Armando Vieira da Silva Diz

    Tenho 33 anos pago de INSS quando conseguirei me aposentar? Alguém pôr favor pode me responder?

  3. Luiz Henrique Nunes da Silva Diz

    Tô com 63 anos não consigo trabalho falta 2 anos vou viver do que já trabalhei pôr 32 anos de serviço não sei o que fazer

  4. Mariluci fabrini Diz

    Só nesse Brasil mesmo onde fazem de tudo para o pobre do trabalhador fazer contas de quando terá o direito de receber os seus trocadinhos no com da vida.

  5. José euclides Ferreira da Silva Diz

    Só queria que os meus desecete anos que trabalhei depois de me aposentar me foce devovido pois quando agente chega depois dê quarenta e cinco anos já ficava descartado e eu tinha cinquenta e já estava ficando défice encontrar emprego… então me aposentei aí trabalhei até dóis mil e quinze! Quero o meu dinheiro de volta

  6. Jorni Engel Diz

    Fator previdenciario é roubo legalizado, rouba dos trabalhadores que ganham pouco pra alimentar altas aposentadorias …….

  7. João Batista Guido Gomes Diz

    Eles roubam de todos os lados dos 37 anos de contribuições eles calcularam somente os meus menores salários de junho/94 até até agosto/19 ou seja 25 anos. Antes de junho de 94 trabalhei no Unibanco essa época já era . Todos os meses contribuia para esse antro e na hora dos cálculos foi tirado e acressentado fator previdenciário. Agora estou no aguardo dos deuses do STF julgar um direito meu e de muitos. Sinceramente dessa gente não tenho esperança. Só acredito em Deus e no seu filho Jesus para nós salvar.

    1. D. Matson Diz

      Sempre fomos governados por ladrões, por demônios malditos e agora ficou pior.

  8. Antonio Correia De araujo Diz

    GENTE essa de fator previdenciário e mais um roubo essa de trabalha mais e robô TENHO 82 ANOS TRABALHRI 57 ANOS COM CARTEIRA ASSINADA APOSENTEIME GANHADO QUATRO SALARIO E MEIO HOJE GANHO UM SALARIO OS TRES SALARIO E MEIO ROBARAM TA NO BOLSSO DOS SALAFRAIO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.