Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Marcha sobre Roma: consolidação do Fascismo

A Marcha sobre Roma: vai cair na sua prova!

O termo Marcha sobre Roma se refere ao evento que ocorreu na capital italiana, no ano de 1922, e que foi responsável por consolidar o regime fascista de Benito Mussolini.

Assim, não é de se surpreender que o assunto seja sobrado com tanta frequência nas principais provas do país, com um destaque especial para os vestibulares.

A Marcha sobre Roma: Definição

A Marcha sobre Roma foi uma manifestação que aconteceu na cidade de Roma, na Itália, no dia 28 de outubro de 1922. O evento foi organizado pelo Partido Nacional Fascista que, na época, era liderado por Benito Mussolini.

A manifestação foi responsável por consolidar o início do domínio da ideologia fascista no país. Isso porque, após essa Marcha, Mussolini assumiria o governo italiano.

A Marcha sobre Roma: Quem era Mussolini?

Benito Amilcare Andrea Mussolini foi ditador italiano que fundaria o Fascismo, regime totalitário que esteve em vigor desde a década de 20. Mussolini seria chamado de “Duce”, nome que provém do verbo “conduce” em italiano (conduzir), ou seja, aquele que conduz o seu povo.

Mussolini governaria a Itália de 1922 a 1943 e contaria, durante todo o sue governo, com o apoio dos camisas negras, uma milícia que servia o Partido Nacional Fascista e que, posteriormente, passaria a compor o exército italiano.

A Marcha sobre Roma: Antecedentes Históricos

No contexto pós-Primeira Guerra Mundial, a Itália passava por uma forte crise econômica, acompanhada por altas taxas de desemprego e uma alta inflação. O povo, obviamente, se encontrava muito insatisfeito e pedia mudanças.

Dessa maneiram, os fascistas, com suas promessas de reformar o país e suas palavras de ordem, encontraram o cenário ficou propício para assumir o poder por meio da violência.

A Marcha sobre Roma: Características

A Marcha sobre Roma contou com presença de muitos apoiadores do Fascismo que desejavam fazer parte do governo do país. Diante de uma imensa multidão que avançava pelas ruas da  capital, o rei Vittorio Emanuelle III foi obrigado a ceder o poder para Benito Mussolini, com o objetivo de evitar um confronto direto e, até mesmo, uma guerra civil. Assim, no dia 30 de outubro do mesmo ano, Mussolini seria encarregado, pelo rei, de formar um novo governo.

É justamente pela sequência de eventos supracitada que a Marcha sobre Roma é considerada, até os dias de hoje, a consolidação da introdução do regime e da ideologia fascista na Itália.

Apoiado pelas milícias e pela população, Mussolini decretou o estado de sítio e consolidou o fim da democracia liberal italiana. 

Posteriormente, Benito Mussolini se aliaria com Adolf Hitler, líder nazista, e colocaria a Itália dentro da Segunda Guerra Mundial.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.