Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Como as emoções interferem na cognição?

As emoções interferem na cognição a todo momento.

Nós, seres humanos, somos racionais, sim, mas também somos emocionais. A todo momento estamos sentindo algo – ou até mesmo vivendo a ausência desse sentir. Isso quer dizer que as nossas emoções estão presentes em nosso dia a dia de uma forma mais intensa do que imaginamos. Basta prestarmos atenção nisso.

Inclusive, enquanto você lê este texto é bem possível que a sua mente e o seu corpo estejam vivendo as consequências de uma emoção. Seja ela envolvida com a sua curiosidade para com este tema, ou com alguma preocupação ou satisfação qualquer da sua rotina.

Assim, pensar em como as emoções interferem na cognição é lançar um olhar atento para a forma como costumamos aprender. Para tanto, acompanhe este texto até o fim e vamos refletir juntos!

Como as emoções interferem na cognição?

As emoções interferem na cognição de adultos e crianças, diariamente. Quando estamos tristes, tendemos a ter pensamentos negativos de maneira repetitiva, impedindo que o foco se volte para os estudos; ao mesmo tempo, quando estamos muito felizes e eufóricos tendemos a pensar em diversas coisas, ao invés de apenas olhar para o que deve ser estudado.

Faça um exercício e pense nas últimas vezes em que você estudou. Como você estava se sentindo? O que pensava, volta e meia?

Agora, pense em quando você atingiu um excelente resultado nos estudos. E também pense sobre um momento de “fracasso” em alguma prova. É possível que você se surpreenda com o padrão de emoções envolvidos com esse processo. 😉

Além disso, considere as reflexões abaixo e fique ainda mais por dentro disso:

1- As emoções impactam na forma como o cérebro capta informações

As nossas emoções são capazes de fazer com que o nosso cérebro sofra variações na sua forma de captar informações do ambiente. Isso quer dizer que quando estamos afetado com algo (entenda “afetado” como um grande afeto sobre alguma coisa), tendemos a ter o foco um pouco destorcido. Afinal, é bem possível que a nossa atenção esteja voltada para a situação que nos provoca prazer ou desconforto.

A nível de exemplo, pense sobre a última vez que você se apaixonou. Não é à toa que dizemos que nos sentimos “nas nuvens” nesse momento, não é mesmo? E é como se a nossa mente realmente viajasse pelas nuvens – e assim levasse o nosso foco junto com ela.

2- As emoções conduzem a nossa atenção

As nossas emoções interferem na cognição a partir do momento em que elas são responsáveis por auxiliar a condução da nossa atenção. Ou seja, a nossa emoção direciona a  nossa atenção.

  • Exemplo: Quando estamos com medo, a nossa atenção se volta para o objeto que provoca medo, e nada mais importa.

E sabemos que, obviamente, a nossa atenção é quem conduz a nossa memorização e esta, por sua vez, impacta em nossa aprendizagem. Isso nos dá a entender que as emoções, em uma cadeia de acontecimentos, impacta profundamente a nossa aprendizagem.

Justamente por isso que dizemos que sem uma regulação equilibrada das emoções não há aprendizagem efetiva.

Como andam as suas emoções e a sua saúde mental?

Referências:

  • IMPORTÂNCIA DAS EMOÇÕES NA APRENDIZAGEM: UMA ABORDAGEM NEUROPSICOPEDAGÓGICA. Disponível em: <https://www.revistapsicopedagogia.com.br/detalhes/505/importancia-das-emocoes-na-aprendizagem–uma-abordagem-neuropsicopedagogica>. Acesso em 27 out. 2021.
Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.