Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Banco Central: informações atualizadas sobre a DLSP e a DBGG

Confira informações atualizadas sobre a DLSP e a DBGG, de acordo com informações do Banco Central do Brasil. Saiba mais!

No que se se refere a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) e Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG), o Banco Central do Brasil (BCB) destaca que a DLSP atingiu 58,2% do PIB (R$5,2 trilhões) em março, elevando-se 1,1 p.p. do PIB no mês, de acordo com divulgação realizada na data desta publicação, 16 de maio de 2022.

Banco Central: informações atualizadas sobre a DLSP e a DBGG

De acordo com a divulgação realizada pelo Banco Central do Brasil (BCB), esse resultado refletiu, sobretudo, os impactos da valorização cambial de 7,8% (aumento de 1,1 p.p.), dos juros nominais apropriados (aumento de 0,3 p.p.), do efeito da variação da cesta de moedas que compõem a dívida externa líquida (aumento de 0,2 p.p.), e do efeito do crescimento do PIB nominal (redução de 0,6 p.p.). 

A valorização cambial influenciou a relação DLSP/PIB

No ano, houve aumento de 1,0 p.p. na relação DLSP/PIB, influenciada pelo efeito da valorização cambial acumulada de 15,1% (aumento de 2,4 p.p.), pelos juros nominais apropriados (aumento de 0,8 p.p.), pelo efeito da variação da cesta de moedas que compõem a dívida externa líquida (aumento de 0,6 p.p.), pelo crescimento do PIB nominal (redução de 1,6 p.p.), e pelo superávit primário acumulado (redução de 1,2 p.p.).

Sobre a DBGG

Conforme destaca o Banco Central do Brasil (BCB), a DBGG – que compreende Governo Federal, INSS e governos estaduais e municipais – atingiu 78,5% do PIB (R$7,0 trilhões) em março de 2022, redução de 0,8 p.p. do PIB em relação ao mês anterior. 

Elevação do PIB nominal 

De acordo com a atualização do Banco Central do Brasil (BCB), essa evolução no mês decorreu, principalmente, do efeito do crescimento do PIB nominal (redução de 0,8 p.p.), do efeito da valorização cambial (redução de 0,4 p.p.), dos resgates líquidos de dívida (redução de 0,3 p.p.), e dos juros nominais apropriados (aumento de 0,8 p.p.). 

No acumulado no ano, a redução de 1,8 p.p. decorreu do crescimento do PIB nominal (redução de 2,3 p.p.), dos resgates líquidos de dívida (redução de 0,8 p.p.), do efeito da valorização cambial acumulada (redução de 0,8 p.p.) e dos juros nominais apropriados (aumento de 2,0 p.p.), destaca o Banco Central do Brasil (BCB).

Acompanhe os dados oficiais

O Banco Central do Brasil (BCB) divulga várias informações relevantes sobre a economia, bem como sobre os processos e planejamentos da instituição e do Governo Federal. Por isso, o Banco Central do Brasil (BCB) é uma relevante fonte de informações para o cidadão.

Haja vista que diversos fatores impactam a economia e, por conseguinte, alteram o fluxo de oferta e demanda através da oscilação da inflação, sendo assim, as informações oficiais são relevantes para o cidadão analisar o mercado e realizar o seu planejamento financeiro pessoal.

5/5 - (1 vote)

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.