Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

B3: confira a análise geral dos novos investidores da Bolsa de Valores do Brasil

B3: confira a análise geral dos novos investidores da Bolsa de Valores do Brasil e ele suas chances de direcionar suas finanças!

De acordo com informações oficiais da B3 (Bolsa de Valores do Brasil), os dados confirmam que a maior parte dos novos investidores (48%) entra no mercado de equities na faixa de 25 a 39 anos. 

B3: confira a análise geral dos novos investidores da Bolsa de Valores do Brasil

Dessa forma, a faixa entre 19 e 24 anos está na sequência, com 24% dos novos investidores.

Diversificação: uma característica que tem se tornado cada vez mais recorrente 

Além disso, segundo dados divulgados pela B3 (Bolsa de Valores do Brasil), o número de investidores em ações cresceu 26% na comparação entre set/20 e set/21. 

Fundos de Investimento Imobiliários (FIIs)

Já os Fundos de Investimento Imobiliários (FIIs), Fundos de índices (ETFs) e Brazilian Depositary Receipt (BDRs) subiram 40%, 96% e 1.414%, respectivamente, na comparação com o mesmo período.  

Além disso, a plataforma oficial da instituição informa que a diversificação é uma característica que tem se tornado cada vez mais recorrente na carteira dos investidores. 

B3 aponta que os investidores possuem uma combinação de ações com outros produtos de bolsa

Conforme dados oficiais, em 2016, 78% das pessoas físicas detinham apenas ações em seus portfólios. Em 2021, esse número caiu para 49%. Ou seja, cada vez mais, os investidores possuem uma combinação de ações com outros produtos de bolsa.

Observa-se, também, a diversificação dos investidores nos tickers negociados. Em 2016, 39% das PFs possuíam apenas 1 ativo em carteira, hoje, esse número caiu para 21%. Isso significa que um a cada dois investidores possui mais de 5 tickers na carteira, ressalta a B3 (Bolsa de Valores do Brasil). 

Democratização dos investimentos 

De acordo com dados oficiais da B3 (Bolsa de Valores do Brasil), desde 2019, está cada mês mais baixo o valor médio do primeiro investimento das pessoas físicas na renda variável. 

Essa quantia, que já foi de cerca de R$ 1.500 reais, hoje está em torno de R$ 273 – o que demonstra que o investidor não deixa de fazer aportes, mesmo que mais baixos, em renda variável. 

A pessoa física entra com aportes baixos e recorrentes

Além disso, essa é uma forma de novos investidores conhecerem o comportamento desse mercado. De forma sucinta, a pessoa física entra com aportes baixos, mas os mantém de forma recorrente.

É possível consultar essas e outras informações oficiais no site da B3 (Bolsa de Valores do Brasil). Caso deseje se tornar um novo investidor, confira nossas dicas e direcione a sua rentabilidade de forma segura e consciente. No entanto, é importante que faça um plano de finanças pessoais para direcionar suas metas em curto, médio e longo prazo.

5/5 - (1 vote)

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.