Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial: 35 milhões de pessoas saem do programa

De acordo com dados do próprio Ministério da Cidadania, cerca de 35 milhões de usuários já perderam o Auxílio Emergencial

Desde que começou a ser pago, o Auxílio Emergencial já teve o seu número de usuários reduzido pela metade. Pelo menos é isso o que mostram os dados do próprio Ministério da Cidadania. Essa, aliás, é a pasta responsável pelos pagamentos não só desse programa como também do Bolsa Família.

Veja também: Salário mínimo 2022 tem novo valor projetado; veja qual

Segundo dados oficiais, o Auxílio Emergencial começou sendo pago para algo em torno de 70 milhões de pessoas. Isso aconteceu no início dos repasses ainda em 2020. Naquele primeiro momento, o objetivo do Governo federal já era atender os cidadãos que estavam com dificuldades para conseguir uma renda.

Só que esse número foi caindo mês após mês. De acordo com dados do próprio Ministério da Cidadania, a quantidade de usuários do Auxílio Emergencial despencou dos quase 70 milhões para cerca de 48 milhões em setembro. Pelo menos é isso o que se sabe até aqui. E as quedas seguiram acontecendo nos meses seguintes.

Depois de um hiato de três meses sem pagamentos este ano, o Governo Federal decidiu retomar os repasses no último mês de abril. Só que o retorno aconteceu com mais uma queda. A partir dali, o programa só atendia algo em torno de 39 milhões de pessoas. E neste momento o dado mais recente mostra que esse patamar já caiu para os 35 milhões.

Na prática, dá para dizer que o Governo Federal já cortou, pelo menos, a metade de todos os beneficiários do Auxílio Emergencial. O Palácio do Planalto explica que isso teria acontecido principalmente porque eles não estão mais sob o período de calamidade pública. Assim, eles teriam que voltar a respeitar o teto de gastos públicos.

Novas inscrições

Nas redes sociais, usuários estão pressionando o Governo Federal pela abertura de novas inscrições. De acordo com informações oficiais, eles não abrem novas vagas desde o início dos pagamentos ainda no ano passado.

É de se imaginar, portanto, que muita gente que não se inscreveu naquela primeira vez, possa ter entrado em dificuldades financeiras depois disso. Só que como o Governo não reabriu as inscrições, eles acabaram ficando de fora do projeto.

Como há uma chance de prorrogação do Auxílio por mais alguns meses e o Governo está neste momento definindo os detalhes, talvez seja essa a hora de fazer pressão. Isso porque se entende que eles podem levar esse clamor popular em consideração.

Cenário incerto

Só que é preciso deixar claro que até este momento o que se tem é incerteza. A Medida Provisória (MP) do novo Bolsa Família está em tramitação no Congresso Nacional. No entanto, ela segue sem informações básicas sobre o programa.

As declarações de membros do Governo Federal também ajudam a confundir um pouco. Alguns deles estão falando em entrevista que a prorrogação do Auxílio Emergencial é quase certa, outros dizer que já é certo que ela não vai acontecer.

O fato mesmo é que o tempo está correndo. Os pagamentos da 7ª parcela do Auxílio Emergencial, por exemplo, devem começar daqui a exatamente uma semana. O novo Bolsa Família deverá começar a ser pago dentro de mais alguns dias.

1 comentário
  1. Joana Sandra de Abreu Marques Diz

    Eu fui cortada por causa de uma perícia médica na qual eu não fui aprovada sendo que tenho desgaste no joelhos e ernias de disco na coluna

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.