Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

NOVA solução para o programa Bolsa Família será encontrada

De acordo com o Presidente do Senado, senadores estão em conversas para descobrir uma solução para o novo Bolsa Família

O Presidente do Senado voltou a falar nesta semana sobre o novo Bolsa Família. O programa, que deve passar a se chamar Auxílio Brasil, deve entrar em cena no próximo mês de novembro, e ainda não tem uma aprovação definida. No que depender do parlamentar, no entanto, eles irão achar uma solução para esse impasse.

Veja também: Guedes: Auxílio emergencial com prorrogação de R$500

“Encontraremos caminhos de sustentação e ampliação ao Bolsa Família no Brasil. A implantação de um novo programa social é fundamental, mas temos de ter responsabilidade e entender que existem meios capazes de se tornarem fontes de custeio para combater a fome e a pobreza”, disse o Senador durante um evento.

Há quem diga que a fala de Pacheco foi muito mais um recado para o Ministro da Economia, Paulo Guedes do que qualquer outra coisa. É que, em tese, o Governo já entregou a sua solução para o programa. Bastaria aprovar os textos que já estão em tramitação no Congresso Nacional neste momento.

Só que ao falar que vai encontrar uma solução, Pacheco automaticamente descarta esta que Guedes está apontando. Recentemente, o Presidente do Senado disse que seria “temerário” apostar todas as fichas do Auxílio Brasil na possível aprovação da Reforma do Imposto de Renda, que está em tramitação por lá.

Para Guedes, a aprovação desse texto é extremamente importante para que o Governo consiga abrir espaço para o Auxílio Brasil no próximo ano. Em entrevista para o jornal Folha de São Paulo, membros do Ministério da Economia chegaram a dizer que se não houver essa aprovação, o aumento no novo Bolsa Família não vai acontecer.

Reunião

Recentemente, o Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco esteve em uma reunião com o Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) e o Ministro da Economia, Paulo Guedes. Em pauta, eles discutiram a questão da PEC dos precatórios.

Ao sair desse encontro, os três disseram que encontraram uma solução para a questão do Auxílio Brasil. Naquele momento, parecia que o Governo tinha conseguido resolver toda essa situação. Só que de lá até aqui, tudo piorou.

Nas últimas semanas, Pacheco e Guedes trocaram farpas em algumas declarações. O Ministro disse que o Senado poderia ser marcado por uma casa que não se importa com o Bolsa Família. O Presidente do Congresso disse que não aceita pressão.

Auxílio Brasil

Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, a versão atual do projeto atende algo em torno de 14,6 milhões de pessoas. Trata-se portanto de um dos maiores números de atendidos em toda a história do projeto em questão.

A ideia do Governo Federal é, portanto, começar os pagamentos do Auxílio Brasil em novembro. Eles querem aumentar os valores médios dos repasses dos atuais R$ 189 para cerca de R$ 300. E o número de usuários poderia subir para 17 milhões.

Só que tudo isso depende do Congresso Nacional. Em entrevista para o jornal Folha de São Paulo, membros do Ministério da Economia disseram que se os parlamentares não aprovarem esse texto, o novo Bolsa Família não vai aumentar de tamanho.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

1 comentário
  1. Arildo dos Santos Diz

    Bom dia. estou a muito tempo correndo atrás de direito sobre uma casa própria e preciso até meu auxílio foi cortado que faz pouco tempo q este auxílio saiu e porque a casa q a muitos anos luto e não consigo nada Estou precisando m ajuda por favor…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.