Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Universitários reclamam de cortes em auxílios estudantis no Brasil

Alguns estudantes universitários estão sentindo na pele neste momento uma redução dos seus auxílios estudantis. É que algumas universidades costumam fazer pagamentos para estes alunos. Acontece que em alguns casos, esse dinheiro está caindo.

Na Universidade Federal da Bahia (UFBA), por exemplo, o Auxílio Permanência teve uma queda importante. Alguns alunos estavam recebendo uma bolsa de R$ 900 mais um auxílio alimentação de R$ 400. O primeiro caiu para R$ 830 e o segundo para R$ 200. Assim, temos uma redução visível nos valores.

No caso da UFBA, esse dinheiro vai principalmente para os estudantes indígenas e quilombolas. Nos dois casos, a ideia dessa bolsa é ajudar aqueles que precisam ficar longe de suas casas para conseguir estudar na Universidade em questão. É uma ajuda para quem precisa.

De acordo com a Universidade Federal da Bahia, esse corte nos auxílios está acontecendo por causa da queda nos repasses do Governo Federal. É que desde o início do mandato do Presidente Jair Bolsonaro, esse dinheiro para a educação superior vem caindo ano após ano.

O Ministério da Educação, que é responsável pelas universidades públicas, afirma que está ciente desses cortes nos repasses. No entanto, a pasta afirma que está fazendo o possível para tentar mitigar ao máximo essas reduções no orçamento.

Menos dinheiro para os auxílios

Vale lembrar que o Presidente Jair Bolsonaro venceu as eleições presidenciais de 2018 com a promessa de mudar a lógica do gasto público. O então candidato disse que o estado passaria a gastar menos. Em resumo, ele prometeu enxugar a máquina pública.

E essa diminuição do dinheiro inclui também a diminuição de gastos como estes das universidades. O Presidente Jair Bolsonaro, no entanto, não vem comentando essa questão. Enquanto isso, membros da oposição estão tentando jogar luz sobre essa situação.

É que boa parte da oposição acredita que o Governo precisa gastar mais com essa área. De acordo com deputados de esquerda, o Planalto precisa liberar esse dinheiro para que as Universidades consigam pagar o Auxílio para estes estudantes.

Além das universidades

O Governo Federal pode não estar querendo liberar mais dinheiro para os auxílios das universidades. No entanto, a tendência é que a liberação da quantia aconteça para o pagamento de outros tipos de auxílio no segundo semestre de ano. Pelo menos é o que eles estão prometendo.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a tendência natural agora é prorrogar o Auxílio Emergencial por mais dois ou três meses. Nesse caso, os pagamentos deste benefício seguiriam até, pelo menos, o próximo mês de setembro.

Logo depois disso, a ideia é começar os repasses do novo Bolsa Família. O programa ficaria maior do que a versão atual. A questão é que, assim como os estudantes da UFBA, os usuários desse auxílio ainda não possuem mais informações sobre o que vai acontecer com os seus benefícios em um futuro próximo.

O Presidente Jair Bolsonaro disse em mais de uma oportunidade que é contra a prorrogação do Auxílio Emergencial. Além disso, ele falou que as pessoas que estão pedindo por isso precisam ir tirar um dinheiro em um empréstimo de banco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.