Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (4 votes)

Revisão da Vida Toda: Para quem é indicada?

No geral, a revisão do benefício do INSS solicita a inclusão das contribuições previdenciárias realizadas antes de 1994, uma vez que esses recolhimentos não são contabilizados atualmente devido a regra de transição estabelecida em 1999.

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que solicitaram a revisão do benefício ainda estão aguardando o julgamento da ação pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Caso a decisão seja favorável, o valor dos abonos pode aumentar consideravelmente.

Veja também: INSS: o que pode acontecer depois do corte de orçamento para o Instituto

No geral, a revisão do benefício do INSS solicita a inclusão das contribuições previdenciárias realizadas antes de 1994, uma vez que esses recolhimentos não são contabilizados atualmente devido a regra de transição estabelecida em 1999.

Acontece que a autarquia ressaltou ter dificuldade em calcular o valor do benefício após a alteração da moeda nacional, determinada pelo plano real em 1994, considerando a necessidade de conversão dos valores.

No entanto, a decisão acabou prejudicando diversos segurados, sobretudo, os que fizeram contribuições maiores antes do ano referido.

Para quem a revisão é vantajosa

A Revisão da Vida Toda inclui as contribuições realizadas antes de 1994. Em razão disso, ela é indicada para os segurados que possuíam altos salários antes da data. Desta forma, é possível que as contribuições anteriores sejam contabilizadas aumentando o valor da aposentadoria.

Em contrapartida, para os beneficiários que contribuíam com um valor baixo antes de 1994, a revisão pode não ser vantajosa, de modo que pode até reduzir o valor da aposentadoria. Neste sentido, é importante buscar orientação de um profissional especializado, como um advogado previdenciário.

Vale ressaltar que o prazo para entrar com a ação é de 10 anos a partir da liberação do benefício. Ou seja, quem começou a receber a aposentadoria em 2013, por exemplo, pode ajuizar a revisão até 2023.

Previsão para julgamento da ação

Os segurados do INSS esperam que o STF tome uma decisão ainda no começo de 2022, uma vez que muitos estão falecendo enquanto aguardam a correção no valor de seus benefícios.

Todavia, o julgamento ainda não possui uma data específica, lembrando que o judiciário entrou em recesso a partir de dezembro de 2021, período este que acaba neste mês de janeiro.

5/5 - (4 votes)

Veja o que é sucesso na Internet:

1 comentário
  1. Radival de Lima Diz

    Esse trabalho dela é muito importante.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.