Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Rainha Elizabeth I: governo da última rainha Tudor

Rainha Elizabeth I: um resumo 

A rainha britânica Elizabeth I iniciou seu governo no ano de 1558, após o falecimento de sua irmã Maria Tudor. 

O seu governo foi marcado por uma série de grandes feitos e pela consolidação da Inglaterra em diversos aspectos políticos e econômicos. Assim, é muito provável que alguma questão sobre a rainha e seus feitos apareça na sua prova de história geral.

Rainha Elizabeth I: um resumo 

Quando a sua irmã Maria I, rainha católica, morre sem deixar herdeiros, no ano de 1558, Elizabeth assume o poder. 

A então rainha Elizabeth I, chamada de Isabel, em português, ficou conhecida pelo apelido “rainha virgem”. Isso porque, por razões políticas, a monarca optou por não se casar.

Rainha Elizabeth I: Era de Ouro

O reinado de Elizabeth, que durou 44 anos, ficou conhecido, na história da Inglaterra, como “Era de Ouro”. Isso porque, a rainha foi a responsável por afirmar o absolutismo britânico, controlando os nobres e afastando a Igreja. Ainda, é sob o seu governo que a Inglaterra irá se consolidar como uma potência marítima mundial, derrotando a armada (marinha de guerra) da Espanha, na época a maior concorrente dos ingleses.

Alguns historiadores afirmam que o seu governo teria sido o mais próspero e bem-sucedido de todos os monarcas da dinastia Tudor.

Durante a Era de Ouro, Elizabeth consolidou, ainda, as atividades colonizadores da Inglaterra e expandiu as relações comerciais que o país mantinha com outros impérios, como o Império Turco-Otomano.

Rainha Elizabeth I: Religiões

Durante o governo de Elizabeth I, a Inglaterra ainda estava dividida entre diversas religiões, que conflitavam entre si: católicos, puritanos e anglicanos disputavam o poder nos mais variados setores.  

Porém, embora protestante, Elizabeth soube controlar o problema. Ao assumir o trono, a monarca decidiu utilizar uma religião que incorporasse princípios das diversas doutrinas. Assim, Elizabeth I utiliza, por exemplo, os sacramentos dos católicos, os preceitos dos anglicanos e algumas diretrizes puritanas, como a permissão para que o clero se case. 

Rainha Elizabeth I: Cultura

Historiadores afirmam que a rainha era uma mulher extremamente culta e inteligente. Isso explica o grande incentivo às artes que foi realizado em seu governo. 

É justamente nesse momento que surge uma grande renovação das ciências humanas na Inglaterra, especialmente dentro do teatro e da literatura. Podemos citar como um dos grandes nomes do período William Shakespeare, que retratou, em suas obras, diversos momentos do governo de Elizabeth I.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.