Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Pronunciamento de Bolsonaro: adotando um tom moderado, presidente coloca 2021 como “o ano da vacinação dos brasileiros”

O Presidente da República Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, na noite desta terça-feira (23), abordando a campanha de vacinação contra o novo coronavírus e a situação atual da pandemia no Brasil.

Inicialmente Bolsonaro afirmou que nunca deixou de medir esforços no combate à Covid-19 e mencionou acordos firmados pelo governo para a aquisição de novas doses da vacina:

“Em julho de 2020, assinamos um acordo com a Universidade de Oxford para a produção, na Fiocruz, de 100 milhões de doses da vacina AstraZeneca e liberamos, em agosto, R$ 1,9 bilhão”.

Segundo ele, “em nenhum momento, o governo deixou de tomar medidas importantes tanto para combater o coronavírus como para combater o caos na economia, que poderia gerar desemprego e fome”.

Promessas no combate à pandemia

Bolsonaro buscou “tranquilizar o povo brasileiro” e tentou adotar uma fala moderada e conciliadora, afirmando estar agindo para atenuar os efeitos da crise sanitária:

“Sempre afirmei que adotaríamos qualquer vacina, desde que aprovada pela Anvisa. E assim foi feito”.

O presidente afirmou que tratou de intermediar pessoalmente uma negociação junto a Pfizer para antecipar a entrega de cem milhões de doses.

Na parte final do pronunciamento, Bolsonaro fez a promessa de que até o mês de dezembro, o país terá alcançado a marca de 500 milhões de doses para vacinar toda a população e concluiu a fala sugerindo otimismo:

“Muito em breve, retomaremos nossa vida normal. Solidarizo-me com todos aqueles que tiveram perdas em suas famílias. Que deus conforte seus corações. Estamos fazendo e vamos fazer de 2021 o ano da vacinação dos brasileiros. Somos incansáveis na luta contra o coronavírus. Essa é a missão e vamos cumpri-la.”

Dados atualizados da pandemia no Brasil

A fala ocorre no momento em que o Brasil ultrapassa seguidos recordes de mortes causadas pela Covid-19, em meio à escassez de vacinas, colapso da rede hospitalar e da constante troca no comando do Ministério da Saúde.

Segundo a Secretaria de Saúde dos Estados (CONASS), nas últimas 24 horas, o número de óbitos causados pela doença foi de 3.251, o novo recorde nacional.

Ao todo, já foram mais de 12 milhões de pessoas infectadas e quase trezentos mil mortos em detrimento de complicações causadas pelo novo coronavírus.

Os dados atualizados às 18h desta terça-feira (23), indicam que 16.914.529 doses da vacina já foram aplicadas em território nacional.

Estima-se que a população brasileira total esteja na faixa das 211 milhões de pessoas.

Panelaço

Ao longo do pronunciamento de cerca de três minutos, manifestantes registraram, através de suas redes sociais, os barulhentos protestos espalhados por diversas cidades do país.

O panelaço já estava programado desde o anúncio de que Bolsonaro se pronunciaria em tv aberta nesta noite e já surgia entre os assuntos mais comentados do Twitter desde o fim da tarde desta terça-feira (23).

A partir dos protestos de 2013, grande parte dos brasileiros passou a se manifestar politicamente desta maneira, tornando o panelaço um ato bastante popular que foi potencializado em tempos de isolamento social.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
2 Comentários
  1. Marilza Borba Borba Diz

    Bolsonaro já era não se elege mais

  2. Professor Diz

    Eu voto em jair Bolsonaro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.