Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Pix: a solução segura do Banco Central

O Pix é a solução de pagamento instantâneo, criada e gerida pelo Banco Central do Brasil (BC), Confira informações relevantes e oficiais!

De acordo com definição oficial do Banco Central, o Pix é a solução de pagamento instantâneo, criada e gerida pelo próprio Banco Central do Brasil (BC), que proporciona a realização de transferências e pagamentos. 

Pix: a solução segura do Banco Central

O BC ressalta que a segurança faz parte do escopo do Pix desde seu princípio, e é priorizada em todos os aspectos do ecossistema, inclusive em relação às transações, às informações pessoais e ao combate à fraude e lavagem de dinheiro. 

Sendo assim, os requisitos de disponibilidade, confidencialidade, integridade e autenticidade das informações foram cuidadosamente estudados e diversos controles foram implantados para garantir alto nível de segurança, informa o Banco Central em seu site oficial.

Informações criptografadas 

Todas as transações ocorrerão por meio de mensagens assinadas digitalmente e que trafegam de forma criptografada, em uma rede protegida e apartada da Internet. 

Além disso, No Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT), componente que armazenará as informações das chaves Pix, as informações dos usuários também são criptografadas e existem mecanismos de proteção que impedem varreduras das informações pessoais, informa o BC. Bem como, além de indicadores que auxiliam os participantes do ecossistema na prevenção contra fraudes e lavagem de dinheiro.  

O BC informa que o Pix passará por muitas melhorias, conforme a agenda evolutiva da ferramenta. Sendo assim, o Pix Saque e o Pix Troco fazem parte dessas implementações. 

 Pix Saque e o Pix Troco

Conforme informações oficiais, com a criação desses dois produtos, o Banco Central busca alcançar os seguintes objetivos:

  • aumentar os pontos de retirada de dinheiro em espécie, com conveniência e facilidade para o usuário do Pix;
  • aumentar a competição, melhorando as condições de oferta e de valores de serviços de saque; e
  • fomentar a inovação, possibilitando diversidade de modelos de negócio.

Tanto no Pix Saque quanto no Pix Troco, o usuário que deseja retirar dinheiro em espécie irá realizar um Pix da mesma forma como faz um Pix hoje, informa o BC.

Sendo assim, seja com finalidade de saque, seja com finalidade de troco, o usuário irá ler um QR Code e irá fazer um Pix da sua conta para a conta do prestador de serviço de saque ou do agente de saque (estabelecimento comercial, por exemplo), que entregará ao usuário o dinheiro em espécie indicado.

No caso do Pix Saque, o dinheiro em espécie corresponderá ao valor da transação Pix realizada, informa o Banco Central. Já no caso do Pix Troco, o valor entregue ao usuário será a diferença entre o valor do total do Pix e o valor da compra realizada, ressalta o BC. O Pix Saque e o Pix Troco estão previstos para entrarem em funcionamento em novembro de 2021.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.