Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

PIS/Pasep e FGTS: Veja como sacar os dois benefícios

Existe a possibilidade desses trabalhadores receberem os seus benefícios ainda este ano. 

O trabalhador com carteira assinada pode desfrutar de alguns benefícios, durante e após o seu exercício. O cidadão tem direito ao PIS/Pasep, pago anualmente ao trabalhador e ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), pago quando é demitido sem justa causa.

Neste sentido, existe a possibilidade desses trabalhadores receberem os seus benefícios ainda este ano.

Saques do FGTS em 2021

Em 2021, o saque do FGTS é possível por meio de duas situações, a primeira diz respeito ao saque-aniversário, que permite aos trabalhadores receberem anualmente parte do seu saldo depositado no Fundo de Garantia, no mês do seu aniversário. Vale destacar que caso o trabalhador seja demitido sem justa causa, terá o direito apenas a multa rescisória de 40%.

A segunda situação que permite o saque do FGTS este ano, é caso o trabalhador seja demitido sem justa causa, o que garante o resgate do chamado saque-rescisão. É importante destacar que caso o cidadão seja demitido com justa causa, o mesmo não terá direito ao saque do fundo e somente receberá a multa rescisória.

Saque do abono PIS/Pasep em 2021

O abono PIS/Pasep é pago todos os anos ao trabalhador que cumpre todos os critérios para o recebimento. No entanto, aqueles que trabalharam em 2020 e estão aguardando o repasse do benefício neste ano, devem aguardar mais alguns meses.

Isso porque, por decisão do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), o cronograma de pagamento do abono foi adiado para 2022. Portanto, os pagamentos do ano-base 2020, ocorrerão a partir do primeiro semestre do próximo ano.

Além disso, para que o trabalhador tenha o direito ao recebimento do abono, é preciso estar cadastrado há pelo menos cinco anos no sistema do PIS/Pasep, ter recebido em média dois salários mínimos mensais no ano-base, ter trabalhado ao menos 30 dias consecutivos, ou não, no ano-base e ter todas as informações passados pela empresa ao RAIS do governo corretamente.

Veja também: Auxílio Emergencial: Governo define data de decreto da prorrogação

2 Comentários
  1. Marilza Miguel Diz

    É um absurdo! Estou desempregada, desesperada esperando por esse benefício que é meu de direito. Passando por dificuldades financeiras sem poder me alimentar bem!!!
    Para vocês é fácil tomar essa decisão. Estão com o bolso cheio e comendo do bom e do melhor. Assim é fácil.

  2. Carlos Alberto Nunes da Silva Diz

    E um absurdo isso

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.