Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

O Renascimento Carolíngio: um resumo

O tema é abordado com frequência pelas provas de história

O Renascimento Carolíngio: tudo o que você precisa saber

O termo “renascimento carolíngio” se refere ao grande investimento em artes, cultura e educação realizado durante determinada fase do Império Carolíngio.

Esse tópico é frequentemente abordado por provas. Assim, para que você se prepare de maneira adequada e garanta um bom desenvolvimento em seus exames, o artigo de hoje separou um resumo com tudo o que você precisa saber sobre o Renascimento Carolíngio.

O Renascimento Carolíngio: o império

Como mencionados, o Império Carolíngio foi responsável pela consolidação, durante a Alta Idade Média, desse Renascimento.

O Império teve início no ano de 751, com a queda do Reino dos Francos. Pepino, o Breve teria sido o responsável pela unificação dos povos que viviam na região e, posteriormente, o seu filho Carlos Magno consolidaria o Império Carolíngio na Europa Ocidental.

O Renascimento Carolíngio: contexto histórico

O Renascimento Carolíngio começa a ser colocado em prática por Pepino, o Breve, que havia colocado fim à dinastia merovíngia e unificado os povos que viviam em conflitos nas regiões em que hoje se encontram a França e a Alemanha.

No ano de 751, Pepino se tornou rei dos francos e, com isso, passou a colocar em prática o seu projeto de renascimento cultural.

Carlos Magno, filho de Pepino, continuaria e efetivaria o projeto.

O Renascimento Carolíngio: características

O Renascimento Carolíngio foi pensado com o objetivo de estimular a produção cultural e a educação da Europa Ocidental ou, mais especificamente, das áreas dominadas pelo Império Carolíngio.

Carlos Magno passou a incentivar o ensino de disciplinas como literatura, gramática, aritmética e retórica nas escolas elementares europeias. Devemos nos lembrar que essas escolas eram as responsáveis pela principal formação daqueles que nelas estudavam.

Ainda, o Renascimento Carolíngio também fez com que muitos professores fossem chamados de nações estrangeiras para lecionar nas escolas e nas academias carolíngias.

Por fim, devemos destacar também que a Igreja adquiriu um importante papel no Renascimento Carolíngio, principalmente por meio da construção de novas escolas clericais, da cópia de manuscritos antigos, da valorização da filosofia e da expansão do conhecimento humano que havia sido produzido em tempos remotos.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.