Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Guerra Fria: a expressão Cortina de Ferro

Confira um resume sobre o tópico

Você sabe como a expressão Cortina de Ferro surgiu?

Compreender a expressão “Cortina de Ferro” é fundamental para um entendimento adequado do significado da Guerra Fria

Dessa maneira, não é de se surpreender que o tema seja tão abordado por questões de história geral, principalmente dentro dos vestibulares e da prova do ENEM. 

Para te ajudar, o artigo de hoje separou um resumo com tudo aquilo que você precisa saber sobre a Cortina de Ferro. Confira!

Cortina de Ferro: introdução

A expressão “Cortina de Ferro”, que foi criada pelo primeiro-ministro britânico Winston Churchill, seria utilizada pela primeira vez no ano de 1946.

Cortina de Ferro: contexto histórico

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, o mundo se viu dividido em duas metades: de um lado estavam os países capitalistas e do outro estavam os países socialistas. A divisão ocasionou o início da Guerra Fria, um embate político.

Foi nesse contexto que Winston Churchill fez um importante discurso na cidade americana de Fulton. Nesse momento, Churchill utilizou a expressão “cortina de ferro” para se referir ao isolamento que os países que viviam sob a influência da URSS sofreriam.

Os países capitalistas, a partir de então, isolariam a Europa Ocidental daquela Oriental a fim de combater os ideais defendidos pela URSS. Assim, o mundo ficou dividido entre socialistas e capitalistas, dando início a Guerra Fria.

Cortina de Ferro: o discurso

Em seu discurso, Churchill afirmou que “uma cortina de ferro desceu sobre o continente” e que essa ia de Estetino, localizado no Mar Báltico, até Trieste, localizado no Mar Adriático. Essa cortina seria a responsável por dividir o continente europeu. 

Atrás da linha estavam os países dos países da Europa Central e Oriental, tendo como as capitais Varsóvia, Berlim, Praga, Viena, Budapeste, Belgrado, Bucareste e Sófia. Essas cidades estavam sob influência soviética e, por isso, estavam do lado oposto aos países capitalistas nos embates travados a partir daquele momento. 

Cortina de Ferro: as consequências

O discurso de Churchill influenciou fortemente a recuperação dos países que estavam do outro lado da cortina de ferro. Mesmo que eles tivessem sido aliados durante a Segunda Guerra Mundial, era importante para as potências capitalistas (EUA e  Inglaterra) combater a influência soviética. Sendo assim, quando era necessário, essas nações forneciam ajuda econômica e militar para essas nações. Com isso em mente, foram criadas medidas para garantir que o capitalismo fosse a base de todos os países ajudados pelas potências.

Por fim, devemos ressaltar que a Alemanha foi o país mais atingido pela divisão, uma vez que foi dividida entre Alemanha Ocidental, de influência capitalista, e a Alemanha Oriental, de influência soviética. Entre as duas se encontrava o Muro de Berlim, construído em 1961.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.