Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Nova prorrogação do Auxílio pode comprometer novo Bolsa Família

Ministro Paulo Guedes admitiu que o Auxílio pode ter mais de uma prorrogação. No entanto, isso comprometeria outros projetos

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na última semana que o Auxílio Emergencial pode ter uma nova prorrogação além desta primeira. De acordo com ele, isso vai acontecer caso a pandemia do novo coronavírus não entre em controle até o próximo mês de outubro. E isso acaba jogando uma discussão forte sobre o novo Bolsa Família.

Acontece que a ideia do Governo Federal é começar um programa depois do fim do outro. Então se, por exemplo, o Auxílio Emergencial ganhar mais três meses de duração, ele iria fazer pagamentos até outubro. Dessa forma, o novo Bolsa Família só iria entrar em cena a partir do próximo mês de novembro.

A questão agora é entender se o Auxílio pode ganhar uma prorrogação para além dessa que tende ir até outubro. Se for uma adição de mais um mês, então o projeto iria até novembro, e o Bolsa Família começaria em dezembro. E essa é uma data um tanto perigosa para o Planalto. Pelo menos é o que os aliados estão dizendo neste momento.

É que de acordo com as regras eleitorais do Brasil, o Governo não pode apresentar projetos como um Bolsa Família em um ano eleitoral. E o fato é que 2022 é justamente um ano de eleições presidenciais no país. Então, o Planalto não pode apresentar o novo benefício no próximo ano. É por isso que existe uma pressa para anunciar o programa logo.

Até aqui, o Governo não explicou oficialmente o que vai acontecer de fato. O Ministro Paulo Guedes disse que Bolsonaro faria isso ainda na última semana. No entanto, a promessa não se cumpriu e o Presidente não realizou nenhum pronunciamento. Nesse momento, a incerteza está irritando até mesmo alguns aliados do Planalto.

Arthur Lira

O Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) disse em entrevista recente que o Governo Federal precisa ter mais pressa para aprovar o novo Bolsa Família. “Não dá para deixar para aprovar este programa em outubro”, disse o parlamentar.

No Planalto, muita gente viu essa fala como uma certa provocação ao Governo. Lira tinha deixado claro que, na sua visão, o melhor a se fazer seria não prorrogar o Auxílio Emergencial e puxar o novo Bolsa Família para o próximo mês de agosto.

No entanto, não é isso o que deve acontecer de fato. O mais provável mesmo é que o Auxílio Emergencial ganhe mais três meses de duração e o Bolsa Família, em sua nova versão, comece os seus pagamentos no próximo mês de novembro.

Auxílio e Bolsa Família

O calendário corrido está preocupando o Palácio do Planalto. É que eles precisam encontrar uma maneira de fazer com que os dois programas caibam não só no curto espaço de tempo como também no curto orçamento.

Dentro do Ministério da Economia, há a ideia de que o Planalto vai conseguir pagar os valores do Bolsa Família com muita tranquilidade este ano. O problema está mesmo em 2022, quando os gastos extras tendem a aumentar.

Enquanto não tomam uma decisão, milhões de pessoas esperam para saber o que vai acontecer com elas neste segundo semestre no Brasil. Aparentemente a má notícia para elas, é que nem mesmo o Governo Federal sabe ainda dessas respostas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.