Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Caixa atualiza aplicativo para REDUZIR tumulto pelos R$600

Há relatos de trabalhadores na plataforma de aplicativos do Google que citam demora superior a uma semana para conseguir fazer operações com o dinheiro

Criado em 2019, o aplicativo da Caixa tem quase 82 milhões de downloads e foi alvo de uma forte sobrecarga por conta da quantidade de desempregados e informais em busca pelo auxílio. No primeiro mês de funcionamento, o app não deu conta de atender os milhares de acessos simultâneos, e muitos cidadãos tiveram que recorrer às agências.

O app que permite a transferência do valor e o pagamento de boletos, criou enormes filas digitais e longa espera para aqueles que tentaram utilizar das ferramentas do aplicativo para não sair de casa.

Há relatos de trabalhadores na plataforma de aplicativos do Google que citam demora superior a uma semana para conseguir fazer operações com o dinheiro. Também mencionam sequências de erros e travas no aplicativo, como problemas de conexão com o servidor e de validação dos dados.

“O app trava muito e quase sempre não consegue completar as operações de transferência ou pagamento [importantes para não precisar ir até a agência]”, disse um usuário em 5 de maio.

“Não permite que você faça uma transferência nos finais de semana [quando há menos usuários] para que a mesma seja efetivada no próximo dia útil, o que contribui ainda mais para o congestionamento”, continuou.

A espera virtual é um recurso parecido a uma sala de espera física. O problema é que, enquanto em uma sala física a pessoa aguarda com uma senha na mão e a certeza de que será atendida, na sala virtual do Caixa Tem o usuário precisa manter a tela do aplicativo ativa, sem poder utilizar outras funções do celular. Porém, de acordo com a Caixa, isso já foi corrigido.

Atualização do aplicativo: Veja

Na última quinta-feira (7), quando o banco realizou uma atualização no aplicativo, o processo poderia levar mais de meia hora e, no final, apresentar erro. Depois de inúmeras reclamações e diante das preocupantes filas em agências, a Caixa diz que consertou o problema. “A usabilidade melhorou 1.000%”, disse Cláudio Salituro, VP de Tecnologia da Caixa.

O banco informa que a última atualização permitirá 5.000 usuários por minuto. Na sexta-feira (8), novos comentários foram feitos, mostrando resultados com a nova atualização. Trabalhadores disseram conseguir efetuar as transações após semanas de tentativas.

“Depois de mais de um mês, eu consegui fazer o saque, o aplicativo ficava muito lento e tinha que enfrentar a fila virtual, mas sempre caía e depois dava erro”, afirmou uma usuária.

Falta de informação

Apesar de a nova atualização apresentar melhoras no acesso, pesquisadores criticam ainda outros pontos, como a falta de informação sobre os requisitos mínimos para celulares que podem usar a aplicação e a dificuldade de instalação em aparelhos mais antigos. Observam também que o repasse tem sido feito diretamente à poupança da Caixa, não a outros bancos em alguns casos.

“Governo e Dataprev conseguiram revelar 46 milhões de brasileiros que estavam invisíveis a políticas sociais. Mas as pessoas não estão necessariamente recebendo em suas atuais contas, mas na poupança social digital. Isso sobrecarrega porque não distribui para quem pode receber pelo Banco do Brasil, por exemplo”, diz Marco Konopacki, pesquisador ro ITS-Rio e ligado à New York University.

Além disso, o pesquisador também menciona que os CPFs iniciados com zero não estavam sendo identificados, o que a Caixa diz já estar solucionado.

Em nota, a Caixa afirma que o pagamento do auxílio é o maior programa de inclusão social, financeira e digital do Brasil, e ressalta: “ele foi implementado em apenas duas semanas”.

Quanto à compatibilidade com celulares antigos, o banco também afirma que o aplicativo foi projetado para ser o mais leve do mercado financeiro, de forma a funcionar em qualquer modelo de smartphone.

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

Saiba quem pode receber o auxílio emergencial

O projeto altera uma lei de 1993, que trata da organização da assistência social no país. De acordo com o texto, durante o período de três meses será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • seja maior de 18 anos;
  • não tenha emprego formal;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
  • a renda mensal per capita seja de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

O auxílio vai ser cortado caso aconteça o descumprimento dos requisitos acima. O texto também deixa claro que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

  • microempreendedor individual (MEI); ou
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria; ou
  • trabalhador informal, seja empregado ou autônomo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima.

Desde já, a proposta estabelece que apenas duas pessoas da mesma família poderão receber cumulativamente o auxílio emergencial e o benefício do Bolsa Família, podendo ser substituído temporariamente o benefício do Bolsa Família pelo auxílio emergencial, caso o valor da ajuda seja mais vantajosa para o beneficiário. A trabalhadora informa, chefe de família, vai receber R$ 1.200.

Como pedir o auxílio

Os trabalhadores poderão solicitar o auxílio emergencial de R$600 das seguintes formas:

  1. O cidadão, enfim, no primeiro momento, deve acessar a página inicial oficial do site da Caixa (https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio);
  2. Dessa forma, na página seguinte, são mostrados os requisitos necessários para ter direito ao auxílio emergencial de R$600 a R$1.200;
  3. Após isso, o trabalhador informal deve preencher dados como nome completo, CPF e data de nascimento;
  4. 4. Logo após, será necessário o preenchimento do número do celular para recebimento de um código de verificação por SMS;
  5. Assim chegar por SMS, o código de verificação deve ser colocado no campo “código recebido”;
  6. Após isso, o cidadão deverá informar a renda, o ramo de atividade (as opções oferecidas pelo sistema são Agricultura e Pecuária, Extrativismo/Pesca, Comércio, Produção de Mercadorias, Prestação de serviços, Trabalho Doméstico, Outros), estado e cidade;
  7. Em seguida, o trabalhador escolhe se quer receber em conta já existente ou criar uma poupança digital;
  8. O trabalhador poderá escolher se deseja receber o valor do auxílio em uma conta já existente ou criar uma poupança digital;
  9. Após informar a opção, trabalhador deve fornecer seu documento (RG ou CNH;
  10. Em seguida vêm os dados fornecidos pelo trabalhador;
  11. Em conclusão, na tela final, aparece o aviso de que o pedido do auxílio emergencial está em análise.

Veja também:

Leia Também:

brasil 123  
6 Comentários
  1. Jhon Soares Diz

    É enquanto eu tava em análise, depois cancelaram dizendo que membros da minha família receberam, eu moro sozinho, tenho aluguel pra pagar, dois filhos pra pagar pensões q estão atrasadas, tô sem registro desde janeiro de 2017, só trabalhando com diárias pra manter o aluguel e demais contas, mais piorou com essa pandemia, pessoas que não precisavam conseguiram, eu na condição que estou não sou considerado apto pra receber o auxílio? Isso tá errado…

  2. Ana Paula Diz

    Presidente, bom dia!! Poxa veja uma possibilidade de eu ganhar esse auxílio, sou uma professora sim, fiz declaração do imposto de renda em.2018, mais estou sem emprego sem renda, vendo lingeries, agora vejo irregularidade nisso, tem duas pessoas que conheço q. Por ano declaram 32 do mil, e receberam a 1 parcela do auxílio, poxa veja isso não está fácil pra todo mundo e pra pagar meu aluguel é pessoas que me ajudam, graças a Deus.

  3. Rosana Diz

    Olá boa noite!!! Já estou em análise pela segunda vez,meu primeiro cadastro deu inconclusivo,só que o meu problema está sendo o seguinte moro na casa de cima da minha sogra sou mãe de duas crianças trabalho de diarista duas vezes por semana e o outro emprego eu perdi pelo vírus ,a renda da minha casa não dá meio salário mínimo por pessoa e minha sogra mora na casa de baixo com o filho dela,o deles aprovou e o meu ainda está em analise eu já coloquei que moro na casa 2 mais já está indo para 15 dias que fiz o cadastro e nada ,ainda continuo em análise

  4. Gustavo Henrique Diz

    Estou com dificuldade em receber código,pois perdi celular, não consigo recuperar mesmo número.
    E outra dificuldade seria documento RG, devido pandemia também não consigo tirar outro documento.

  5. Everton Diz

    O pior que agente tenta, gerar o código para a liberação mais não libera o código do caixa tem.

    1. Igor Zahn Koms Diz

      Eu não tenho filhos , E também só o porque de minha ex sogra ter me colocado de dependente dela , do bolsa familia !!! Não consegui ter direito ao auxílio emergencial , estou desempregado sem renda mas também preciso , sou diarista , mas agora tudo parou …

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?