Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Como lidar com os gatilhos emocionais no trabalho?

Lidar com os gatilhos emocionais no trabalho pode ser muito penoso para pessoas que ainda não se sentem preparadas para falar sobre determinado assunto. A sensação de exaustão mental e até mesmo de reflexos físicos, como a taquicardia, a sudorese e a tontura, podem atrapalhar qualquer tomada de decisão diante da exposição do sujeito a um gatilho mental.

Pensando nisso, trouxemos alguns apontamentos sobre esse assunto que poderão lhe ajudar a ter uma vida mais leve e equilibrada. Acompanhe.

O que são os gatilhos emocionais no trabalho?

Os gatilhos emocionais podem ser compreendidos como situações (que variam de pessoa para pessoa) que geram grandes impactos nas emoções do sujeito. Isto é, trata-se de situações que provocam uma reação emocional muito intensa na pessoa, causando mal-estar e desconforto. Em alguns casos, o gatilho emocional pode ser tão forte que a produtividade e a motivação do sujeito se esgotam, de um instante ao outro.

Como lidar com os gatilhos emocionais no trabalho?

Para lidar com os gatilhos emocionais no trabalho é preciso exercitar a sua paciência e agir com cautela. Em outras palavras, jamais se exponha aos seus gatilhos de maneira proposital, apenas para tentar “se equilibrar”. Mas sim, respeite o seu tempo de autoconhecimento e vá lidando com a situação de maneira leve e gradativa. Veja algumas dicas que podem lhe ajudar:

1- Descubra os seus gatilhos emocionais através do autoconhecimento

Descobrir quais são os seus gatilhos emocionais é o primeiro passo para equilibrá-los. Isso não quer dizer que você deve se expor a eles para conhecer mais sobre cada situação. Mas sim, a ideia é que você pratique o autoconhecimento e comece a compreender quais circunstâncias podem deixar você triste, com medo, irritado ou cansado. Analise com cuidado, atentando-se às emoções que surgem “do nada”, durante o seu dia de trabalho.

2- Analise o que lhe causa desconforto e em quais situações você já se alterou

Depois que você começar a dar mais atenção às emoções, tentando “escutá-las” e não apenas permitindo que elas “mandem em você”, comece a analisar em quais situações você já se alterou e o que costuma lhe causar desconforto.

Essa análise é importante, porque às vezes os gatilhos emocionais no trabalho podem parecer bem evidentes, mas, alguns permanecem escondidos, sem que você se dê conta. Por isso que esse processo de autodescoberta deve ser gradativo: à medida que você percebe novas emoções no trabalho, comece a analisar quais estão condizentes com o momento e quais estão trazendo à tona algum trauma do passado.

3- Procure ajuda psicológica para tratar os gatilhos emocionais intensos

Se você perceber que analisar e pensar sobre os gatilhos emocionais no trabalho tem lhe gerado muita dor e desconforto, procure o suporte psicológico de um profissional. Assim você conseguirá analisar, mais profundamente, quais são os porquês envolvidos com esses gatilhos que trazem o passado à tona. Isso poderá lhe ajudar a equilibrar e gerenciar as suas emoções.

4- Analise até que ponto o gatilho que traz à tona o passado é igual ao que acontece no presente

Quando você perceber que está diante de um gatilho emocional, respire fundo e tente se tranquilizar. Pense de uma forma mais racional, analisando até que ponto aquele momento presente tem alguma relação com algum episódio do seu passado. Analise o que é racional e emocional nas suas reações, a fim de equilibrar melhor o que você vem sentindo.

Às vezes, analisar e dizer para si mesmo que a situação é completamente diferente da do passado, pode lhe ajudar a se sentir mais calmo. E à medida que você se acalma e se tranquiliza toda vez que um gatilho aparece, automaticamente você começará a ter menos gatilhos emocionais no trabalho. Cuide-se!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.