Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Inflação do aluguel acumula 31,12% em 12 meses

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecida também como inflação do aluguel, fechou o acumulado de 12 meses em 31,12%. Este resultado é fruto de uma desaceleração nos últimos meses, em agosto o índice aumentou 0,66%, enquanto em julho ele ficou 0,78%.

O índice serve, por exemplo, para o reajuste do aluguel, ou seja, a inflação. Não é de hoje que o índice tem subido ainda mais que a inflação oficial – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O preço da energia e crise hidrelétrica impactam o resultado do IGP-M, conforme afirmou afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços, ao G1. “Se não fosse a crise hídrica, o IGP-M apresentaria desaceleração mais forte. No IPA, culturas afetadas pela estiagem, como milho (-4,58% para 10,97%) e café (0,04% para 20,98%) registraram forte avanço em seus preços. No âmbito do consumidor, o preço da energia, para a qual é esperado novo reajuste em setembro, registrou alta de 3,26%, sendo a principal influência para a inflação ao consumidor”.

O IGPM é composto por três outros indicadores Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e Índice de Nacional de Custo da Construção (INCC). 

IPA

Itens com maior impacto 

  • soja em grão (7,78%)
  • milho (10,97%)
  • café (20,98%)
  • adubos ou fertilizantes (10,62%)
  • carne de aves (8,38%)

Itens com menor diminuição

  • minério de ferro (-15,32%)
  • carne bovina (-1,42%)
  • bovinos (-0,34%)
  • fios, cabos e condutores elétricos isolados (-1,10%).

 

IPC maiores impactos

 

INCC por índice

  • materiais e equipamentos (1,52% para 1,17%);
  • serviços (0,65% para 0,78%);
  • mão de obra (1,12% para zero).

 

“Obviamente estamos num patamar elevado de inflação e esta melhora relativa não será sentida pela sociedade de maneira geral, contudo nós chama atenção a queda na aceleração dos preços ao consumidor que caiu de 0,83% para 0,75% sugerindo que há certa estabilização na margem”, avaliou, em nota ao G1, o economista da Necton, André Perfeito.

Lei pede troca de indicadores para inflação do aluguel

O Projeto de Lei PL 1026/2021 estabelece que o reajuste do aluguel seja feito com base no IPCA e não no IGPM.

“Os inquilinos estão desesperados com os índices de reajuste dos contratos de aluguel neste período de pandemia. A Lei do inquilinato prevê a livre negociação do valor do reajuste entre locador e locatário; todavia essa livre negociação vem trazendo prejuízos ao locador, que na necessidade de fechar o contrato, aceita qualquer índice de reajuste”, diz Deputado Vinícius Carvalho (Republicanos/SP) autor do projeto, em sua justificativa.

Em algumas negociações de imóveis os proprietários já estão reajustando os valores pelo IPCA, mas para que este reajuste seja universal o PL precisa ser aprovado.

 

 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.