Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Inflação alta deve ser tendência também em 2022, diz relatório

A Capital Economics realizou uma nova projeção para o cenário da inflação no Brasil em 2022 e 2013. Segundo o relatório, a economia brasileira está destinada a seguir em um período de inflação alta e que dessa forma deve ditar um país em um cenário de “estagflação”.

Em referência ao que o Banco Central deverá fazer nos próximos anos, a expectativa é que sejam feitos novos aumentos para a taxa básica de juros, a Selic. Mesmo que a inflação diminua, o BC deve subir para 9% a taxa da Selic.

A consultoria fez uma revisão sobre a projeção da inflação em 2022 e 2023. Para o próximo ano, a previsão que era de 3% passa para 1,3% e em 2023 de 2% cai para 1,8%, porém ainda assim, em patamares elevados em anos onde os países desenvolvidos e até emergentes têm melhores expectativas do que o Brasil.

Economia passou por recuperação na metade do ano, porém que acabou não durando

Durante os meses de junho e julho, a economia brasileira viu cenários de recuperação, como no aumento da criação dos postos de trabalho, começo da vacinação contra a covid-19, aumento das exportações, maior arrecadação do Governo Federal e uma valorização do real em relação ao dólar.

Porém esse momento de euforia acabou caindo e os principais cuidados seriam os preços dos alimentos, inflação alta e o aumento da conta de luz. A inflação já atinge 10,2% no acumulado dos últimos 12 meses, além dos constantes aumentos do preço dos alimentos que já é o maior desde o ano da criação do plano real, em 1994.

Poder de compra é deteriorado sobretudo entre os mais pobres

Essa situação acaba corroendo o poder de compra das famílias, sobretudo dos que estão entre as classes menos favorecidas economicamente. E a previsão é que a inflação continue pesando no bolso da população nos próximos trimestres, principalmente no preço da cesta básica.

O forte aumento da inflação levou o Banco Central a reforçar as medidas de proteção e a apertar a política monetária. Se para os rentistas o aumento da taxa de juros é positivo, para quem for atrás da busca de obtenção de crédito dificilmente terá acesso a uma taxa de juros bem mais alta do que por exemplo no início deste ano, com uma Selic a 1,90%.

Períodos de secas poderão aumentar ainda mais o preço da energia elétrica

A situação poderá piorar ainda mais em 2022 com novos períodos de secas e que assim poderá gerar ainda mais transtornos para a situação hidrelétrica do país, como a manutenção da bandeira de escassez hídrica.

E outros pontos podem ser decisivos para um aumento ou queda da inflação nos próximos anos, como o preço das commodities do Brasil, que vai desde a exportação do minério, que já começou a cair e é esperado que aconteça uma recuperação. O resultado final é que a economia nacional estaria perdendo força mais cedo do que o esperado.  

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.