Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

FMI: como funciona o Fundo Monetário Internacional?

Qual a relação do Fundo com o Brasil?

FMI: aquilo que você precisa saber

O termo “FMI” funciona como uma sigla para “Fundo Monetário Internacional”, organização criada no ano de 1944, durante a Conferência de Bretton Woods.

O assunto aparece com uma frequência muito grande nos vestibulares e na prova do ENEM, principalmente nas questões de geografia e de história.

FMI: definição 

O FMI, Fundo Monetário Internacional, foi criado no ano de 1944, como parte do Acordo de Bretton Woods, assinado nos Estados Unidos. 

O Fundo é uma organização supranacional, ou seja, que tem um poder maior do que cada país isoladamente. Atualmente, 188 países são membros do FMI.

FMI: contexto histórico

O FMI foi criado em 1944, quando os rumos da Segunda Guerra Mundial já estavam decididos e a vitória dos Aliados já era certa, ainda que o conflito só acabaria um ano depois, em 1945. 

No momento de sua criação, o FMI foi criado com o objetivo de controlar a economia internacional, evitando, assim, uma nova crise mundial, como a Crise de 1929. Além disso, o Fundo tinha como uma de suas principais metas auxiliar na reestruturação da economia dos países que haviam sido afetados pela Segunda Guerra Mundial.

Ainda, a idealização do Fundo Monetário foi pensada com outro objetivo: consolidar a hegemonia dos Estados Unidos em todo o mundo. Não é de se surpreender, dessa forma, que a sede do FMI esteja localizada na cidade de Washington, capital americana. 

FMI: como funciona?

O Fundo Monetário Internacional conta com, nos dias de hoje, 189 membros ou, mais especificamente, países-membros. Cada nação tem como responsabilidade depositar certas quantias de dinheiro no Fundo. Seguindo essa lógica, os países que depositarem quantias maiores e mais significativas, poderão, caso necessário, pedir maiores empréstimos ao FMI, especialmente em situações de crise.

Os Estados Unidos se comportam, atualmente, como o país que mais contribui com o FMI, sendo responsável por cerca de 25% dos valores do Fundo. O Brasil, por sua vez, contribui com cerca de 2,46% dos valores do Fundo Monetário Internacional, o que não se comporta como uma quantia muito significativa.

Porém, qualquer país-membro possui o direito de recorrer ao FMI em caso de dificuldades econômicas. Devemos destacar que, ao conceder o empréstimo, o Fundo se reserva o direito de impor uma série de diretrizes à nação que o solicitou. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.