Economia e agronegócio: a produção de grãos deve crescer 36,8% nos próximos dez anos

Economia e agronegócio: a produção de grãos deve crescer 36,8% nos próximos dez anos

A produção de grãos deve crescer 36,8% nos próximos dez anos, de acordo com informações do Mapa. Saiba mais sobre o agronegócio!

A produção de grãos no Brasil deverá aumentar 36,8% nos próximos dez anos, chegando a um total de 370,5 milhões de toneladas na safra 2031/2032, de acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Economia e agronegócio: a produção de grãos deve crescer 36,8% nos próximos dez anos

Esse acréscimo corresponde a uma taxa de crescimento de 2,7% ao ano. Algodão, milho de segunda safra e soja devem continuar puxando o crescimento da produção de grãos.

Os números são do estudo Projeções do Agronegócio, Brasil 2021/22 a 2031/32, feito pela Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), pela Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e pelo Departamento de Estatística, da Universidade de Brasília (UnB).

Mercado

Segundo o estudo, o mercado interno, as exportações e os ganhos de produtividade deverão ser os principais fatores de crescimento na próxima década. O estudo aponta uma tendência de crescimento com ganhos de produtividade, já que a área de grãos deve aumentar 17% entre 2021/22 e 2031/32, passando de 74,3 milhões de hectares em 2021/22 para 86,9 milhões de hectares em 2031/32, o que corresponde a um acréscimo anual de 1,6%, informa o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

As projeções de grãos referem-se aos 16 produtos pesquisados mensalmente pela Conab, como parte de seus levantamentos de safra (Algodão, amendoim, arroz, aveia, canola, centeio, cevada, feijão, gergelim, girassol, mamona, milho, soja, sorgo, trigo e triticale). Nesta atualização das projeções, o mês de setembro da safra 2021/2022 foi tomado como base para o início da série projetada.

Carnes

A produção de carnes (bovina, suína e aves) deverá passar de 28,4 milhões de toneladas em 2021/22 para 35 milhões de toneladas no final da próxima década, com um aumento de 23%. O maior aumento de produção deve ocorrer em carne de frango, 25,6%, carne suína, 29,1% e carne bovina, 14,9%, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo o estudo, esses percentuais podem ser ainda maiores, tendo em vista o aumento da procura por proteína animal. Deverá ser realizado um esforço de crescimento que consiste em infraestrutura, investimento em pesquisa e financiamento no setor, aponta o relatório.

Exportações

A atualização oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informa que as exportações de carne suína devem crescer 38,9% na próxima década, chegando a 1,5 milhão de toneladas. 

Carne bovina e de frango também devem crescer, respectivamente 34,1% e 26,2%. Nos grãos, o destaque das exportações é a soja em grão, com previsão de crescimento de 48,9%, chegando a 114,9 milhões de toneladas. 

Algodão em pluma e celulose também devem ganhar espaço no mercado externo, com crescimento de 38,6% e 32,8% nas exportações, de acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.