Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Como saber se é depressão ou preguiça?

Compreender e saber se é depressão ou preguiça é de suma importância para garantir que o sujeito receba o amparo adequado à sua situação. Afinal, cada um dos casos requer um olhar diferente, viabilizando mais qualidade de vida e bem-estar para o indivíduo em questão.

Por isso, neste conteúdo nós visamos discutir mais profundamente sobre esse assunto, a fim de lhe ajudar a estabelecer uma compreensão mais adequada acerca da preguiça e da depressão.

Vamos lá?

Como saber se é depressão ou preguiça? Entendendo a depressão

O primeiro ponto que devemos deixar claro é que não podemos dizer que uma pessoa depressiva é preguiçosa, e nem que um preguiçoso é, de fato, depressivo.

Isso porque a depressão não é preguiça. Mas sim, um cansaço físico e mental, que pode ser confundido com a preguiça. Porém, na depressão a situação costuma ser mais intensa, além de que só podemos caracterizar como um quadro depressivo se o sujeito apresentar outros sintomas e características específicas da doença.

Ou seja, se uma pessoa apenas demonstra preguiça por uma atividade, ou um conjunto de atividades, mas leva a sua vida normal e não apresenta os demais sintomas da depressão, não podemos dizer que se trata de uma pessoa depressiva.

É fundamental ter esse conhecimento antes de rotular as outras pessoas. Tanto as depressivas como “preguiçosas” e uma pessoa que está com preguiça como “depressiva”. Vamos parar com os diagnósticos de internet e os rótulos negativos, ok?

Sintomas de depressão

Além do que mencionamos acima, também é importante conhecer outros sintomas da depressão. Se eles estiverem presentes na sua vida ou na vida de alguém que você conhece, por semanas ou meses, procure orientação profissional.

A depressão tem tratamento e este pode viabilizar mais qualidade de vida para o sujeito. Portanto, atente-se aos sinais:

  • Fadiga em excesso e sonolência.
  • Hipersonia ou insônia.
  • Sentimentos de culpa.
  • Desesperança e tristeza profunda.
  • Falta de perspectiva.
  • Desejo de se isolar e ficar apenas deitado/largado.
  • Falta de vontade de fazer atividades que antes gostava.
  • Apatia e falta de prazer.
  • Cansaço mental e físico.
  • Crises de choro.
  • Perda de peso ou aumento excessivo de peso.
  • Falta de apetite ou excesso de fome.
  • Pensamentos de morte e suicídio.
  • Falta de concentração e foco.
  • Problemas para memorizar.

Vale ressaltar que a intensidade de sintomas pode ser bastante diferente em cada pessoa. Algumas podem sentir mais vontade de chorar, enquanto outras isolam-se mais. Por isso que é necessário o acompanhamento profissional e o diagnóstico qualificado.

A avaliação profissional também é importante

Saber se é depressão ou preguiça é um passo importante para seguir um caminho mais saudável para o indivíduo. Agora que você compreende que a depressão não é preguiça e que ela vem associada a outros sintomas, comece a analisar a situação mais adequadamente.

Caso desconfie de um quadro de depressão, busque avaliação psicológica. Isso é muito importante para que o tratamento ideal seja posto em prática o quanto antes. Invista em mais qualidade de vida e bem-estar.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.