Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Companhia aérea indenizará passageira idosa que esperou 79 dias para retornar ao Brasil

O magistrado do Juizado Especial Cível de Brazlândia/DF proferiu sentença condenando a TAM Linhas Aéreas S.A. a indenizar uma passageira idosa, por danos morais e materiais, por ter sido obrigada a aguardar 79 dias para conseguir retornar a Brasília após viagem a Lisboa.

Falha na prestação dos serviços

De acordo com o constante do processo, a passageira comprou passagens junto à empresa aérea para viagem à capital de Portugal, no dia 03/03/2020, com retorno a Brasília previsto para o dia 01/04/2020.

No entanto, a requerida cancelou o voo de volta por três vezes seguidas, de modo que o retorno da usuária só aconteceu no dia 04/06/2020, isto é, 79 dias depois.

Conforme relatos da idosa, ao longo dos quase três meses de espera em Lisboa, a empresa aérea não providenciou sua realocação em outro voo e, tampouco, lhe prestou qualquer tipo de assistência.

Danos morais

Ao apreciar o caso, o julgador entendeu ser incontroverso os cancelamentos dos voos e, assim, reconheceu que o serviço de transporte aéreo foi defeituoso e provocou prejuízo indenizável à passageira.

Para o julgador, a obrigação de atenuar o sofrimento da autora era da ré, na medida em que era a única que poderia minorar o problema, mas sequer comprovou o mínimo de suporte e respeito à consumidora.

Outrossim, o juiz consignou que restou comprovado que a passageira, idosa e sem recursos financeiros para se manter, teve que comprar nova passagem aérea para o retorno a Brasília, além do custeio com hospedagem, alimentação e telefonemas.

Dessa forma, Diante do exposto, a TAM Linhas Aéreas S.A. foi condenada ao pagamento de R$ 6.886,09, a título de danos materiais, e R$ 4mil pelos danos morais experimentados.

Além disso, a companha aérea deverá ressarcir à requerente o valor de R$ 8.760,00, referente à renda que deixou de auferir por não prestar seus serviços laborais, em Brasília, no período dos 79 dias de espera para o retorno.

Fonte: TJDFT

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.