Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Banco Central muda calendário do Open Banking por conta do PIX

Na última quinta-feira, o Banco Central (BC) alterou novamente o calendário do Open Banking, ou sistema financeiro aberto. Dessa maneira, o calendário do sistema financeiro aberto é separado em algumas fases, que possuem data prévia definida. Na terceira fase, prevista para 30 de agosto, os usuários só poderão fazer transferências via PIX.

Inicialmente, estava prevista a implementação completa na data com outros meios de pagamento, além do PIX. Sendo assim, os meios que estavam previstos eram TED e DOC para transferências e débito em conta e boleto para pagamentos. Assim, as funcionalidades serão integradas ao sistema de forma escalonada nos meses seguintes.

De acordo com o Banco Central, em 15 de fevereiro do ano que vem, as pessoas poderão fazer transferências entre contas do mesmo banco e TED. Bem como, no decorrer do ano continua a implementação dos meios de pagamento, em 30 de junho será oferecido pagamento via boleto e em 30 de setembro será integrado débito em conta no sistema.

O PIX é o sistema de pagamentos e transferências desenvolvido pelo Banco Central em novembro de 2020. Desde a sua criação, o sistema tem levantado muita animação pela facilidade e praticidade que são oferecidos. E agora, sete meses após o lançamento da ferramenta, ela se tornou um sucesso entre os brasileiros.

Open Banking adiantado por conta do PIX

De acordo com Diogo Silva, chefe de subunidade no departamento de regulação do BC, o adiamento foi feito porque o PIX é um sistema da autoridade monetária. Deste modo, essa peculiaridade facilita sua padronização. “Há grande aceitação do PIX por parte da população e, no futuro, parece natural que seja substituto da TED, por exemplo”, disse.

“Temos várias entregas [dentro do open banking] simultâneas e as instituições precisam testar as implementações e buscar certificações. Elas querem conferir antes de estar disponível para os consumidores”, justificou Diogo Silva.

Deste modo, segundo o Banco Central, apenas transferências estarão disponíveis por meio do PIX em agosto. Além disso, a possibilidade de encaminhamento de proposta de operações de crédito de instituições para os clientes, que também seria lançada em agosto, foi adiada para 30 de março do ano que vem.

Ademais, as outras fases do sistema não tiveram suas datas alteradas. Sendo assim, a segunda e quarta fase continuarão com suas programações normais previstas para a data de lançamento de cada uma, tendo o PIX como principal ferramenta de integração.

Novo cronograma de implementação do Open Banking no Brasil

Acompanhe o novo cronograma de implementação do Open Banking no Brasil:

Data

Fase

15 de julho de 2021

Fase 2: Compartilhamento de dados cadastrais e transacionais entre as instituições participantes;

30 de agosto de 2021

Fase 3: Compartilhamento de serviços de iniciação de pagamento (transferências) por meio do PIX;

15 de dezembro de 2021

Fase 4: Compartilhamento de dados de instituições (como lista de produtos e preços) sobre demais operações, como câmbio, investimentos, previdência e seguros?;

15 de fevereiro de 2022

Compartilhamento de transferências entre contas do mesmo banco e TED;

30 de março de 2022

Compartilhamento do serviço de encaminhamento de proposta de operações de crédito;

31 de maio de 2022

Compartilhamento de dados de clientes sobre demais operações, como câmbio, investimentos, previdência e seguros?;

30 de junho de 2022

Compartilhamento de pagamento por boleto;

30 de setembro de 2022

Compartilhamento de débito em conta;

O que é o Open Banking?

O chamado Open Banking é o processo de compartilhamento de dados financeiros entre instituições. Ou seja, esse processo favorece a busca por serviços e produtos em condições melhores ou mais variadas, que se torna mais avançado com a implementação do PIX. Porém, o processo só pode ser implementado com expressa autorização do consumidor.

Portanto, o consumidor poderá escolher compartilhar suas informações com diferentes instituições. Assim, o consumidor pode receber, por exemplo, propostas de crédito, cartões, câmbio, seguros ou investimentos que sejam adaptados à sua realidade ou perfil e que facilitem o dia a dia, além de continuar utilizando o PIX.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.