Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Pix representa 30% dos pagamentos e transferências no Brasil

Visto inicialmente com desconfiança pelos brasileiros,  o Pix tem ganhado credibilidade e proporção. Para se ter uma ideia, estima-se que 30% das transações de pagamentos e transferências no Brasil seja feito via Pix.

Em novembro, apenas 7% dos brasileiros usavam o Pix, número que salto para 30% de acordo com dados de maio.

“A expectativa é que diante da forte adesão que o Pix tem mostrado, ele venha a se tornar o principal meio de pagamento para pessoas físicas e jurídicas no curto ou no médio prazo. O sistema tem uma agenda regulatória extensa que ainda está em construção e novos negócios estão sendo construídos ao redor desse ecossistema”, declarou o gerente-geral de TI do Banco do Brasil e diretor setorial de TI da Febraban, Rodrigo Mulinari.

Nesta ideia de novidade no munda da economia, o Open Bank também deve ser lançado em breve. 

Veja também: Descubra como cancelar PIX

Pix: o que é? 

De maneira resumida, para que você entenda o que é Pix, podemos dizer que é um sistema de transferência instantâneo e sem custos. Por meio dele é possível realizar  transferências por 24h e nos 7 dias da semana.

O Pix é seguro?

De acordo com informações do Banco Central sim. Para isso, ele conta com pelo menos duas tecnologias de proteção de dados.

Especialistas também apontam a confiabilidade do Pix. Mas, como qualquer sistema, há riscos, mas é importante entender quais tecnologias estão garantido a proteção de dados.

Confira:

1 – Criptografia

Sistema que bloqueia o acesso a informações da transferência, impedindo ação de fraudadores.

Em outras palavras, é utilizado um algoritmo para codificar os dados para que eles não tenham mais o formato original e consequentemente não possam ser acessados.

2 – Autenticação

Sistema que identifica os dados do cliente que realiza e do que recebe a transação. Ferramenta tem como objetivo identificar se de fato a procedência de acessos e identificações são verdadeiras.

Outra informação relevante, é que para realizar uma transação é necessária a autenticação de dados como senhas e biometria.

Agora que você já entende o que é o Pix, saiba como cadastra-lo.

Para começar a utilizar o Pix é simples e todo o processo pode ser feito de maneira online. É somente necessário ter uma chave Pix.

Por meio do internet banking, a chave Pix  pode ser cadastrada .

Por meio da chave é possível fazer transações instantâneas em menos de 10 segundos, sem custos e entre qualquer banco. Todas as transações podem ser realizadas em todos os dias e horários.

Eu preciso ter uma conta em banco para utilizar o Pix?

Não. É possível cadastrar sua chave pix por meio de plataformas de pagamentos, entre elas o Mercado Pago e o Picpay.

Todavia, também é possível optar por criar sua chave Pix em bancos tradicionais ou digitais.

O PIX deve acabar com outras formas de transferência?

No momento, são possíveis ainda realizar tanto TED, como DOC, mas dentro das regras e custos oferecidos pelo seu banco. Porém, de acordo com especialistas, a tendência é que as transações tradicionais caiam.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.