Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Banco Central do Brasil: a análise da conjuntura interna da atividade econômica

O Banco Central do Brasil divulga a análise da conjuntura interna da atividade econômica. confira pontos relevantes!

De acordo com o Banco Central do Brasil (BCB) a análise conjuntura interna da atividade econômica apresentou recuo no Produto Interno Bruto (PIB), que recuou ligeiramente (-0,1%) no terceiro trimestre de 2021 em relação ao trimestre anterior, quando a queda de 0,4% havia interrompido a sequência de altas iniciada no terceiro trimestre de 2020. 

Banco Central do Brasil: a análise da conjuntura interna da atividade econômica

Conforme informações do  Banco Central do Brasil (BCB), divulgadas em seu último Relatório Oficial de Inflação, o Produto Interno Bruto (PIB) reflete a instabilidade do cenário econômico atual.

Recuo no Produto Interno Bruto (PIB)

 Dessa forma, o PIB se situa 0,1% abaixo do nível pré-pandemia e 3,2% abaixo do máximo histórico, ocorrido no primeiro trimestre de 2014. Considerada a data de corte do Relatório de Inflação (RI) de setembro, o resultado do terceiro trimestre veio abaixo das expectativas do BC e da mediana dos analistas do Sistema de Expectativa de Mercado (relatório Focus). 

Contas Nacionais Trimestrais (CNT)

A divulgação das Contas Nacionais Trimestrais (CNT) do terceiro trimestre foi acompanhada ? como ocorre em todos os anos nesta ocasião ? de revisões em dados divulgados anteriormente, incorporando, em especial, a última estimativa da série anual das Contas Nacionais e as versões mais atualizadas dos indicadores econômicos mensais e dos levantamentos de safra, informa o  Banco Central do Brasil (BCB).

A revisão de dados do passado e a incorporação do resultado do terceiro trimestre de 2021 fizeram com que as variações trimestrais da série do PIB ajustada sazonalmente passassem de 1,2% para 1,3% no primeiro trimestre e de -0,1% para -0,4% no segundo trimestre. Além disso, a contração anual de 4,1% em 2020 foi revista para -3,9%.

O  Banco Central do Brasil (BCB) ressalta que, como já discutido em edições prévias do Relatório Oficial de Inflação, a interpretação da evolução do crescimento da economia ao longo de 2021 é sensível ao ajuste sazonal utilizado. 

A oscilação da economia reflete variações relevantes

No ajuste oficial, observa-se expansão significativa no primeiro trimestre e recuo nos seguintes. Com ajuste alternativo, que minimiza a influência do período da pandemia sobre a estimação dos fatores sazonais e de calendário, as variações do primeiro ao terceiro trimestre são 0,9%, -0,6% e 0,4%. 

Conforme informa o  Banco Central do Brasil (BCB), com esses dados, o crescimento no primeiro trimestre ainda foi robusto, influenciado pela expansão da agropecuária, mas menor que no ajuste oficial, possivelmente refletindo melhor a retirada de estímulos diretos, como o auxílio emergencial. 

No segundo trimestre, houve um recuo mais pronunciado concomitante ao agravamento da crise sanitária em março e abril, seguido de recuperação no terceiro trimestre, em vez de recuo moderado, informa o Banco Central do Brasil (BCB). É possível conferir essas (e outras) análises na plataforma oficial da instituição. 

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.