Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Auxílio emergencial pode ser prorrogado até o final de 2021

Ala do Governo Federal está tentando convencer o Palácio do Planalto a prorrogar o Auxílio Emergencial por pelo menos mais 2 meses

Ainda não tem nada decidido. O Governo Federal ainda não decidiu sobre a prorrogação do auxílio emergencial, o maior programa de transferência de renda do país. No entanto, já existem movimentações para saber quais serão os detalhes da nova extensão do benefício.

Veja também: Auxílio Emergencial em R$ 600? STF pede explicações do Governo

Uma ala do governo, por exemplo, está sugerindo que o poder executivo estenda o auxílio emergencial por mais dois meses, ou seja, com liberações nos meses de novembro e dezembro. Sendo assim, o benefício continuaria até o fim deste ano.

Atualmente, por meio de informações oficiais, o que se sabe é que o Auxílio Emergencial só tem mais um pagamento pela frente. Trata-se da 7ª parcela, até então a última do benefício.

E o fato é que ele deve acontecer agora nesta segunda metade do mês de outubro. A ideia dessa ala do Governo é seguir com os repasses pelos meses de novembro e dezembro deste ano.

Esta ideia seria uma espécie de “meio termo” entre os desejos dos Ministérios da Cidadania e da Economia neste momento. É que a pasta comandada por Paulo Guedes é contra qualquer tipo de prorrogação do auxílio Emergencial agora. Por outro lado, a equipe de João Roma já fala em mais 6 meses do benefício.

No meio dessa batalha de narrativas está o Presidente Jair Bolsonaro. O chefe do executivo parece inclinado a aprovar mais uma prorrogação do programa. Ele, aliás, chegou a falar em uma live recentemente que o Brasil é um país rico e que poderia seguir pagando auxílios emergenciais por mais tempo.

Só que ainda não se sabe como seria a estrutura desta nova prorrogação. E a maior indefinição é justamente quanto ao tamanho dessa adição de meses. Essa é uma decisão importante que pode acabar definindo inclusive o futuro do Governo Federal em um futuro próximo. É por isso que eles estão analisando o caso com cuidado.

Preocupação com as eleições

Em entrevista recente, o Ministro da Economia, Paulo Guedes disse que uma ala do Governo Federal está muito preocupada com as eleições. Ele disse ainda que esse seria o motivo pela busca pela criação de vários programas sociais.

Só que há uma situação emblemática para o Governo Federal agora. É que prorrogar o Auxílio Emergencial por seis meses pode ter um lado positivo e negativo para Jair Bolsonaro. É o que se sabe.

Sabe-se que se ele prorrogar o benefício por seis meses, isso poderia acabar o ajudando a subir em popularidade. Ao mesmo passo, ele teria que cortar o programa às vésperas das eleições no próximo ano. E isso poderia ser uma notícia ruim para o chefe do executivo.

Auxílio emergencial

Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial do Governo Federal atende algo em torno de 35 milhões de brasileiros. Esse número inclui tanto os usuários informais como também aqueles que fazem parte do Bolsa Família.

A ideia do Governo é começar os pagamentos do Auxílio Brasil em novembro. Esse é o programa que deve substituir o Bolsa Família. Os valores irão subir e a quantidade de usuários também.

Há quem diga que o Governo Federal poderia seguir com os pagamentos dos dois programas ao mesmo tempo. Só que isso tudo ainda está no campo das possibilidades. Hoje, não se sabe o que realmente vai acontecer.

Governo segue fazendo pagamentos

A Caixa Econômica Federal (CEF) liberou os saques da sexta parcela do auxílio emergencial para dois novos grupos de trabalhadores nesta terça-feira, 05 de outubro. Nesse sentido, os beneficiários que podem sacar o auxílio no dia de hoje são os trabalhadores informais inscritos no auxílio via site ou CadÚnico e que são nascidos em fevereiro e março.

Os valores da sexta parcela do Auxílio Emergencial foram depositados para os nascidos em fevereiro no dia 22 e para os nascidos em março no dia 23. O dinheiro do auxílio costuma ser depositado na conta poupança digital da Caixa e pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem, que permite fazer compras e pagamento de boletos através do QR code.

Sendo assim, agora os recursos podem ser sacados ou transferidos para outras contas correntes dos beneficiários. A Caixa adota o modelo escalonado de depósitos e liberação de saques do Auxílio Emergencial para evitar que haja aglomerações nas agências lotéricas do banco. Lembrando que beneficiários do Bolsa Família já podem sacar o benefício no momento do depósito das parcelas.

7ª parcela do benefício será paga em breve

Conforme mostrado acima, a Caixa segue fazendo a liberação de novos lotes de saques da 6ª parcela. Os depósitos já foram concluídos. Sendo assim, já crescem as expectativas pela liberação da 7ª parcela, até então considera a última da prorrogação.

Segundo o cronograma da CAIXA, os depósitos da 7ª parcela começarão no dia 20 de outubro. Ou seja, em duas semanas já terá início a liberação de novos depósitos nas contas dos trabalhadores. Os pagamentos seguirão sendo efetuados até 31 de outubro, quando os nascidos em dezembro terão o valor do benefício depositado em suas contas.

O calendário de saques da 7ª parcela, por sua vez, terá início no dia 1º de novembro deste ano. A liberação do dinheiro em espécie continuará até o dia 19 de novembro. Até então continua sendo a última liberação do benefício, uma vez que já existe movimentos pela prorrogação do auxílio emergencial ainda este ano.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

1 comentário
  1. Fernanda Costa Diz

    Gostaria que muito auxílio seja liberado

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.