Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio Emergencial: Bolsonaro diz que pagamento pode ser mantido em 2022

Conforme sua declaração, a proposta vem sendo discutida pela equipe econômica e dependerá da permanência da pandemia do coronavírus no país.

O pagamento do auxílio emergencial poderá ser estendido até 2022. O presidente da república, Jair Bolsonaro, fez um pronunciamento na última semana sobre a possibilidade de o benefício ser pago ao longo do próximo ano. Conforme sua declaração, a proposta vem sendo discutida pela equipe econômica e dependerá da permanência da pandemia do coronavírus no país.

Incialmente, o chefe do Executivo não apoiava a liberação de uma nova rodada do coronaucher, no entanto, com a redução de quase 50% no valor das mensalidades e da população atendida, o projeto foi concedido.

Com o passar do tempo, Bolsonaro se mostrou a favor do projeto e até mesmo da sua permanência em 2022. De acordo com ele, a temática vem sendo estudada pela sua equipe e será mantida caso necessário.

Bolsonaro se inclina a população mais pobre

Considerando as eleições de 2022, o atual presidente da república vem inclinando sua agenda para ações destinadas a população mais vulnerável do país. Além de anunciar a reformulação do Bolsa Família, agora o executivo apoia a permanência do auxílio emergencial.

“Somente no ano passado, nós gastamos em torno de R$ 300 bilhões com o auxílio emergencial. Isso equivale a mais de 10 anos de Bolsa Família. Neste ano, demos mais quatro meses de auxílio. A gente espera que, com o término da vacina, com a questão da pandemia sendo dissipada, não seja mais preciso isso. Mas, se porventura continuar, nós manteremos o auxílio emergencial”, disse o presidente, em entrevista à Rádio Rock, em São Paulo.

Ainda, Bolsonaro esclareceu que antes de estudar uma nova concessão para o auxílio, vem projetando viabilizar a reformulação do Bolsa Família. O novo programa social deve contar com um acréscimo de R$ 30 bilhões em seu orçamento tradicional, com intuito de atender cerca de 17 milhões de famílias.

“A economia está voltando agora. Em junho, houve a criação de mais 309 mil empregos. A economia formal está indo bem, mas a informal ainda não. Mas a questão do auxílio emergencial e do Bolsa Família temos que, realmente, pensar nisso. Gastar dinheiro nisso ou se endividar, que é a palavra mais correta, para atender aos mais necessitados até que a economia volte a sua normalidade”, ressaltou.

Conforme a agenda do Governo Federal, o novo Bolsa Família será implementado a partir de novembro deste ano. Caso não ocorra, há uma grande possibilidade de ser arquivado, uma vez que em ano eleitoral, por lei, é proibida toda ação que envolva lançamento de projetos governamentais.

Veja também: Bolsa Família 2021: mais pessoas no programa com nova folga no teto de gastos

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
2 Comentários
  1. Ana clar Diz

    Sacaram meu auxílio dia contestação será que recebo novamente

  2. Adriana Carlos Calderaro Diz

    Meu CPF foi cancelado para auxílio emergêncial,tem como recorrer???

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.