Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial 2021: Novo saque da terceira parcela é liberado nesta terça-feira; confira quem recebe

Os valores já haviam sido depositados pela Caixa Econômica Federal e desde o dia 1º de julho estão sendo disponibilizados.

Os saques e transferências da terceira parcela do auxílio emergencial foi liberado na terça-feira (6) para os beneficiários nascidos em abril. Os valores já haviam sido depositados pela Caixa Econômica Federal e desde o dia 1º de julho estão sendo disponibilizados.

Até o momento, o benefício só podia ser movimentado através do aplicativo Caixa Tem, que oferece diversos serviços financeiros aos seus usuários. Os valores concedidos pelo Governo Federal, varia de R$ 150 a R$ 375 conforme a composição familiar.

Vale ressaltar que o calendário dos contemplados que se inscreveram via canais digitais e CadÚnico é distinto do cronograma destinado aos segurados do Bolsa Família. Sendo assim, confira as datas de pagamento da terceira parcela para ambos os grupos a seguir:

Beneficiários inscritos via canais digitais e Cadúnico

Nascidos emDepósitosSaques
Janeiro18 de junho1 de julho
Fevereiro19 de junho2 de julho
Março20 de junho5 de julho
Abril22 de junho6 de julho
Maio23 de junho8 de julho
Junho24 de junho9 de julho
Julho25 de junho12 de julho
Agosto26 de junho13 de julho
Setembro27 de junho14 de julho
Outubro29 de junho15 de julho
Novembro30 de junho16 de julho
Dezembro30 de junho19 de julho

 

Beneficiários do Bolsa Família

Inscritos NIS3ª parcela
NIS final 117 de junho
NIS final 218 de junho
NIS final 321 de junho
NIS final 422 de junho
NIS final 523 de junho
NIS final 624 de junho
NIS final 725 de junho
NIS final 828 de junho
NIS final 929 de junho
NIS final 030 de junho

 

Prorrogação do auxílio

De acordo com as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente da república, Jair Bolsonaro, o auxílio emergencial será prorrogado por mais três parcelas, conforme o avanço da vacinação contra a Covid-19.

O Ministério da Saúde prevê, que até o mês de outubro, toda população adulta brasileira esteja vacinada ao menos com a primeira dose imunizante.

Quem pode receber?

Para ter direito ao auxílio emergencial, o cidadão precisa:

  • Ter recebido o auxílio emergencial em 2020;
  • Ser trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família;
  • Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300); e
  • Ter renda familiar per capita de até meio salário mínimo (R$ 550).

Como saber se vou receber?

O cidadão que ainda não sabe se pode ou não receber o benefício do auxílio emergencial, pode realizar uma consulta através desses canais:

  • Portal da Dataprev
  • Site da Caixa: auxilio.caixa.gov.br
  • Telefone 111

Qual é o valor do auxílio?

De acordo com a MP que viabilizou o pagamento da nova rodada do auxílio emergencial, não só a quantidade de cidadãos contemplados foi reduzida, mas também seu valor, sendo:

  • R$ 150 para famílias compostas por apenas um membro;
  • R$ 250 para famílias com dois ou mais membros; e
  • R$ 375 para famílias chefiadas por mães solteiras.

Quem não pode receber?

Também segundo a MP, não podem receber o benefício do auxílio emergencial:

  • Trabalhadores formais, com carteira assinada;
  • Quem recebe benefício previdenciário ou assistencial, exceto Bolsa Família;
  • Quem recebeu o auxílio em 2020, mas não sacou nem utilizou os recursos;
  • Quem teve o auxílio emergencial em 2020 cancelado;
  • Residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares;
  • Cidadãos com idade inferior a 18 anos, exceto mães adolescentes;
  • Presidiários;
  • Quem teve rendimentos tributáveis superior a R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil.

Veja também: INSS aumenta calendário da prova de vida; Veja como fazer!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.