Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

3.7/5 - (3 votes)

Auxílio Brasil: o que mudou entre os pagamentos de novembro e dezembro

Governo Federal promoveu algumas mudanças no Auxílio Brasil entre os repasses do mês de novembro e de dezembro

O Governo Federal começou na última semana os pagamentos da segunda rodada do Auxílio Brasil. Membros do Palácio do Planalto vinham dizendo que o projeto original como planejado deveria estar pronto agora em dezembro. Mas o fato é que isso não aconteceu ainda. Apenas algumas mudanças saíram de fato do papel.

Veja também: Auxílio Brasil turbinado não é suficiente para comprar uma cesta básica

O número de usuários do programa, por exemplo, segue o mesmo. De acordo com o próprio Ministério da Cidadania, cerca de 14,5 milhões de brasileiros estão recebendo o Auxílio Brasil em dezembro. Esse é o mesmo número de usuários que receberam o dinheiro do programa em questão.

Também não mudou o fato de que o Governo Federal não abriu o projeto para mais gente. Esse é um ponto delicado em toda essa história. Isso porque membros do Palácio do Planalto prometeram que essa abertura de novas vagas aconteceria no último mês do ano. Acontece, no entanto, que isso não se concretizou.

Também não mudou a questão do calendário de pagamentos. Este é um ponto que, aliás, não muda desde a época do Bolsa Família. Vai sempre respeitar as 10 últimas datas de dias úteis do mês. Em dezembro, no entanto, a ideia é pagar todo mundo até o dia 23 de dezembro, ou seja, até antes do Natal.

O que mudou mesmo entre os pagamentos de novembro e dezembro foi a questão do valor dos repasses. No primeiro mês de liberações, o patamar médio de recebimento do programa era de R$ 220. Neste momento, o Governo Federal vem garantindo que todos os 14,5 milhões de usuários estão recebendo pelo menos R$ 400.

O que vai acontecer em janeiro?

O que vai acontecer com o Auxílio Brasil em janeiro ainda não é algo que está totalmente claro. De qualquer forma, o Governo Federal traçou um plano e deve seguir com ele. Se nada mudar, é por aí que eles querem seguir.

A ideia é aumentar o número de usuários do Auxílio Brasil dos atuais 14,5 milhões para cerca de 17 milhões de pessoas. Provavelmente quem está na fila de espera neste momento vai ganhar prioridade na entrada em janeiro.

Sobre os valores, eles deverão seguir do jeito que estão. Até existe um plano de pagar um retroativo para quem recebeu menos do que R$ 400 em novembro. Mas o patamar bruto deverá seguir neste mesmo nível que estamos vendo agora em dezembro.

Tem vaga para todo mundo no Auxílio?

Não. Nem o mais otimista membro do Palácio do Planalto acredita que vai dar para inserir todo mundo no Auxílio Brasil. Como dito, o plano é aumentar o número de usuários para algo em torno de 17 milhões de pessoas.

De acordo com a Rede Brasileira de Renda Básica, o Brasil tem hoje algo em torno de 19 milhões de pessoas em situação de fome. São brasileiros que estão precisando urgentemente de alguma ajuda do Governo Federal.

Por essa lógica, e em se confirmando esses números, então estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas que estão passando fome no Brasil neste momento não consigam entrar no Auxílio Brasil nem agora e nem no próximo ano.

3.7/5 - (3 votes)

Veja o que é sucesso na Internet:

5 Comentários
  1. Cristiane Simões laub Diz

    Eu sou do catrato único ganhar bolsa família a minha reda de 500 com 3crianca gostaria de ganhar vale gaz

  2. Douglas donizeti Alves Diz

    Agradeço a Deus pela colaboração do governo para todos que estão passando por dificuldades.

  3. Rosirene Diz

    Meu nome e Rosirene no ano 2020 recebi meu auxilio de 1200. E esse ano de 2021 nao recebi. Sera que o ano que vem vou receber?

  4. Antonio giison Diz

    Vai ser um Deus nos ajude porque em Janeiro agora vou fazer 64 ano não tem quemme de mais emprego misericórdia de todos nos

  5. edivania Diz

    fazeda mecador

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.