Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Auxílio Brasil: Ministério admite que fila pode voltar no segundo semestre

Técnicos do Ministério da Cidadania já admitem que Governo terá dificuldades para manter fila de espera para o Auxílio Brasil zerada no segundo semestre

O plano do Governo Federal é claro: eles querem inserir mais de 2 milhões de pessoas na folha de pagamentos do Auxílio Brasil no próximo mês de agosto. O número poderia ser suficiente para zerar a chamada fila de espera para entrada no programa. Contudo, técnicos do Ministério da Cidadania já admitem que a lista poderá voltar a se formar depois.

Segundo informações da pasta, pouco mais de 18,13 milhões de pessoas estão aptas ao recebimento do Auxílio Brasil neste mês de julho. Ao mesmo passo, cerca de 1 milhão estão na fila de espera para entrada no programa. Como o plano do Governo é inserir mais de 2 milhões em agosto, a situação poderia ser resolvida em um primeiro momento.

O problema é que a lista de espera para o Auxílio Brasil tem números fluidos. Nesta semana, por exemplo, o Ministério da Cidadania divulgou uma projeção que indica que 350 mil brasileiros entram na lista em média por mês no país. Para um nível de comparação, em 2019, a mesma média estava na casa dos 200 mil brasileiros.

De acordo com técnicos do Ministério, o crescimento vertiginoso da lista de espera pode indicar que cada vez mais pessoas estejam procurando o Cadúnico para entrar no programa social. Em uma análise ainda mais contextualizada, pode-se dizer que cada vez mais brasileiros estão em situação de pobreza e de extrema-pobreza.

Os números do tamanho da fila de espera para entrada no programa social são desencontrados. Como dito, o Ministério da Cidadania aponta que mais de 1 milhão de pessoas estavam nesta situação considerando os dados do último mês de junho. Já conforme a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o número já se aproxima dos 3 milhões.

A fila da fila

Há um fenômeno que pode explicar a discrepância entre os dados. É a chamada fila da fila, que é formada por cidadãos que cumprem todas as regras de entrada para o Auxílio Brasil, mas que ainda não conseguiram sequer entrar na fila oficial.

O caso é mais comum do que se imagina. Estima-se que vários brasileiros que entram no Cadúnico ainda precisem esperar várias semanas para poder ter o seu cadastro atualizado no sistema do Governo Federal.

Qual o tamanho da fila para a fila? Ninguém sabe ainda. Em nota recente, o Ministério da Cidadania disse que não acompanha os números. A CNM indica que é difícil realizar o levantamento porque cada prefeitura tem o seu modo particular de seleção para o Cadúnico.

Auxílio em 2022

Vale lembrar que as discussões envolvendo a fila de espera não são novas. Desde o final do ano passado o tema é pauta de debates dentro e fora do Governo Federal. No início deste ano, o Ministério da Cidadania afirmou que conseguiu zerar a lista.

Para tanto, foi necessário inserir mais de 3 milhões de pessoas de uma só vez na folha de pagamentos do programa social no último mês de janeiro. De toda forma, a fila só se manteve zerada até fevereiro.

Nos meses seguintes, o Governo Federal seguiu inserindo novos usuários no projeto social. Contudo, a quantidade de novas entradas não foi suficiente para atender o ritmo de novas pessoas que entraram na fila. É possível e provável que o fenômeno se repita neste segundo semestre.

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.