Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Aumento do preço do prato feito traz mudanças no cardápio dos brasileiros

O reflexo do aumento da inflação e que atinge sobretudo o preço dos alimentos no Brasil vem sendo sentido pelos consumidores, fazendo com que o preço médio do prato feito aumentasse até 23% nos últimos 12 meses, subindo o dobro da inflação no período. Com o aumento dos preços, a carne bovina, por exemplo, aos poucos vai desaparecendo da refeição do trabalhador brasileiro.

Em algumas situações, já é possível observar o preço do prato feito até dobrar quando se inclui a carne bovina. Geralmente um prato feito mais comum no Brasil é servido de carne bovina, arroz, salada, tomate, temperos e batata frita, em algumas regiões sendo acrescido do ovo com frequência.

Os resultados da pesquisa mais recente mostram que embora a inflação acumulada dos últimos meses tenha fechado em 11,30%, o preço da cesta básica média dos brasileiros cresceu muito mais entre 2021 e 2022. A refeição típica do brasileiro em capitais como Porto Alegre, já chegou a crescer 34%.

Preço da comida diária cresce mais do que a inflação no Brasil

O levantamento mostra que o preço dos bens mais essenciais ao brasileiro vem subindo em larga escala, como o preço da comida diária, que está crescendo muito acima da inflação. A refeição típica já subiu o dobro do índice IPCA, somando o fato de que os brasileiros vêm sofrendo com a perda do poder de compra nos últimos anos.

Isso seria como dizer que para comer um prato feito, o brasileiro estaria gastando 23% a mais do que a 12 meses atrás, sem ter tido um aumento alto no salário, corrigido apenas de acordo com a inflação, não representando um ganho real. O preço do prato feito tem variado entre as capitais do Brasil, sendo que o maior avanço foi registrado em Porto Alegre.

O problema está na frente de um dos maiores debates nacionais em relação ao aumento constante de preços, ao lado do avanço no preço dos combustíveis, que já subiu 33,33% nos últimos 12 meses. O item que mais subiu na lista do IPCA foi a cenoura, seguido pelo tomate, que mais do que dobraram de preço no intervalo de 1 ano.

Inflação reflete sobretudo no preço do prato feito e alimentos em supermercados

Desde o ano passado, a inflação vem sendo umas das principais “inimigas” dos brasileiros, sobretudo por estar se concentrando na alimentação, transporte e energia elétrica. Os avanços vêm sendo sentidos principalmente para a população de baixa renda.

A renda média atual do brasileiro está em R$ 2.489 conforme o que foi revelado em janeiro de 2022, dados apontados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua e em conjunto com o IBGE.

Os comerciantes estão precisando aderir a uma série de manobras para a montagem do prato feito ou mesmo marmitex como é mais popularmente chamada. Alguns restaurantes que preparam um buffet a kg cobram mais dos clientes que optam pela carne bovina, sobretudo isso vem sendo refletido em capitais do Brasil. 

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.