Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Tinder lança Central de Segurança no Brasil para orientar usuários sobre encontros

Recurso foi construído em parceria com ONGs brasileiras e disponibiliza dicas de segurança para encontros, além de oferecer recursos relevantes para o bem-estar dos membros do app

O Tinder anunciou o lançamento da sua Central de Segurança no Brasil. O recurso trará aos membros fácil acesso a ferramentas para o seu bem-estar ao usar a plataforma. Ali, os usuários vão encontrar orientações mais recentes para encontrar alguém com segurança, além de recursos educacionais. O objetivo da nova central é disponibilizar recursos relacionados à segurança e fornecer meios de suporte que conectem membros em alguma situação de necessidade com especialistas relevantes.

LEIA MAIS: Instagram anuncia novo recurso para recuperação de contas invadidas

A Central de Segurança foi desenvolvida por uma equipe dedicada do Tinder em parceria com organizações não governamentais (ONGs), incluindo representantes LGBT+. Por ela, será possível acessar uma lista de linhas diretas locais que oferecem suporte para saúde mental, violência por conta de preconceito e segurança na Internet. 

Antes, as informações de segurança estavam disponíveis apenas dentro das configurações do aplicativo. Com a reformulação, a Central de Segurança estará disponível com maior acessibilidade por meio do menu principal do app e sempre que os membros trocarem mensagens com matches. 

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a contar com a Central de Segurança. O recurso já tinha sido lançado nos Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido e Japão, onde o Tinder considerou um sucesso. O lançamento por aqui está sendo feito com base no compromisso do app de promover mais liberdade e combater o preconceito dentro de sua plataforma. 

Conversa antes do match 

Hot Takes vai permitir conversa antes de match (imagem: divulgação).

No mês passado, o Tinder já tinha anunciado novos recursos para interação entre usuários. Um deles que está em implementação é o Hot Takes. Sem previsão para chegar ao Brasil, a função permite que duas pessoas interajam antes do match. 

O Hot Takes é um complemento aos eventos que ocorrem no fim de semana no Tinder. Hoje, os usuários podem responder algumas perguntas com alternativas pré-estabelecidas. Quando o Hot Takes estiver implementado, será possível ter uma conversa rápida com quem respondeu diferente. 

Essa conversa terá um cronômetro de 30 segundos entre uma resposta e outra. Caso o tempo acabe, a conexão é desfeita. Da mesma forma, os participantes também vão precisar escolher se dão match ou não durante esse período. A proposta é fortalecer a conexão entre pessoas na plataforma a partir da troca de opiniões. 

Além do Hot Takes, que deverá ficar disponível todos os dias das 18h à meia-noite, o Tinder pretende incorporar uma seção chamada “Explorar”. Esta área vai apresentar perfis que tenham interesses em comum, compartilhados por meio de tags escolhidas pelos usuários. Caso surja alguém interessante, é só deslizar para a direita, gesto já característico do app. 

Exemplo de como o Explorar vai funcionar (imagem: divulgação).

A ideia do aplicativo é que o usuário tenha mais opções para encontrar pessoas com gostos em comum, fugindo da tradicional localização e idade. Será no Explorar que os eventos do Hot Takes ficarão. 

Tinder se adapta à pandemia e à nova geração

Em entrevista à BBC, o diretor do Tinder, Jim Lanzone, deixou claro que as mudanças são uma forma de fazer os usuários se conversarem mais antes de saírem para um encontro. De acordo com ele, a pandemia trouxe uma tendência de desaceleração nos relacionamentos e os casais querem se conhecer melhor antes mesmo de dar o match. 

Dados de uso do aplicativo revelam que o número médio de mensagens enviadas aumentou 19% durante o período da pandemia de covid-19. Dessa forma, as conversas se tornaram 32% mais longas. 

Enquanto isso, a geração Z (nascidos entre 1997 e 2015) se engajou mais em chamadas de vídeo. Metade deles usou a ferramenta, enquanto um terço realizou mais atividades em conjunto. Essa geração representa quase metade dos usuários do app e são mais atraídos por vídeo, haja visto o sucesso que o TikTok fez entre adolescentes. 

Como resposta, o Tinder pretende deixar os usuários adicionarem vídeos no perfil. A novidade foi disponibilizada em junho nos Estados Unidos, mas deve chegar no Brasil em agosto. Lanzone afirmou que os jovens vivem de vídeo e, por isso, espera que eles atualizem constantemente seu perfil. 

1 comentário
  1. Mundo feminino Diz

    Olá td bem? Amei seu post,seu conteúdo esta muito bom. Vou acompanhar o blog ,Sucesso 🙂

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.