Tecnologia: automação e ampliação de processos nos portos federais

A tecnologia está disseminada na automação e ampliação de processos nos portos federais. Confira dados do MInfra!

O aprimoramento no acesso aos principais portos federais é uma frente estratégica que vem avançando por meio da disseminação da tecnologia de agendamentos e de equipamentos de automação da entrada dos caminhões nos portos, de acordo com MInfra (Ministério da Infraestrutura).

A tecnologia disseminada no avanço dos portos federais

Esse avanço se dá pela adoção e ampliação dos pátios reguladores e, ainda, através da ampliação de vias e segregação do tráfego de cargas, como no caso da nova avenida portuária no Rio de Janeiro, ressalta o MInfra (Ministério da Infraestrutura).

Automação e ampliação dos pátios reguladores

A melhoria no acesso aos principais portos federais é outra frente estratégica que vem avançando por meio da ampliação de vias e segregação do tráfego de cargas, como no caso da nova avenida portuária no Rio de Janeiro, da disseminação da tecnologia de agendamentos e de equipamentos de automação da entrada de caminhões nos portos, e da adoção e ampliação dos pátios reguladores. 

O sistema Porto Sem Papel representa uma importante desburocratização de processos

Conforme divulgação oficial do MInfra (Ministério da Infraestrutura), o avanço na transformação digital do setor também é uma iniciativa estratégica. O sistema Porto Sem Papel foi consolidado nos portos públicos e terminais privados, desburocratizando o processo de obtenção de anuências para operar nos terminais. 

MInfra e Ministério da Economia

O MInfra (Ministério da Infraestrutura) trabalha agora, em conjunto com o Ministério da Economia, na sua integração com o Portal Único do Comércio Exterior, formando a Janela Única Aquaviária, colocando o Brasil em pé de igualdade com as nações mais desburocratizadas do mundo, de acordo com informações oficiais.

A implantação do Port Community System no gerenciamento de tráfego de embarcações

Registram-se avanços ainda na adoção de sistemas de gerenciamento de tráfego de embarcações, como o de Vitória e do Rio de Janeiro, além da implantação do Port Community System em quatro portos brasileiros, informa o MInfra (Ministério da Infraestrutura). O Brasil recebeu a nota média 4,4, em uma escala de 1 a 7, tendo ficado atrás de países como El Salvador (nota 4,5), Barbados (4,7), República Dominicana (5,1), Jamaica (5,1) e Panamá (5,9).

Aeroportos brasileiros ganham destaque

Segundo informações do MInfra (Ministério da Infraestrutura), no último relatório da consultoria britânica OAG, nove aeroportos brasileiros estavam entre os mais pontuais do mundo. Tais resultados são corroborados pela última Pesquisa de Satisfação do Passageiro, que atingiu 92% de avaliações “bom” e “muito bom”.

 Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) 

Importante dizer que o Brasil é um dos países mais seguros para se voar. Segundo o último relatório RASO 2019 da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o Brasil figurou na 5ª posição no ranking internacional de implementação efetiva (EI) do Programa USOAP-CMA da Organização da Aviação Civil (OACI). Entre os países latino-americanos, figuram apenas Chile (9º) e Nicarágua (10º) no Top 10, destaca o MInfra (Ministério da Infraestrutura).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.