Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Sentimentos negativos ao trabalho pode ser um sinal da Síndrome de Burnout

photo-1586473219010-2ffc57b0d282

Não é só o cansaço extremo e estresse profundo que caracterizam a Síndrome de Burnout, ou como também é conhecido, o esgotamento profissional; a condição também pode ser identificada com o surgimento de sentimentos negativos associados ao trabalho.

A síndrome de Burnout foi recentemente categorizada como uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS), inclusive, a nova classificação entrará em vigor no dia 1 de janeiro de 2022.

A maioria dos diagnósticos do esgotamento profissional são determinados devido a episódios de estresse, que levam a quadros de ansiedade e depressão, entretanto, os primeiros sintomas acabam sendo preteridos, dificultando uma abordagem precoce.

Sentimentos negativos podem ser sinais de Burnout

photo-1456406644174-8ddd4cd52a06

Antes do esgotamento ou estresse profundo, o trabalhador que sofre da Síndrome de Burnout acaba apresentando sentimentos negativos e de aversão pelo ofício, que muitas vezes acaba passando despercebidos por ele mesmo.

Esse fato acaba dificultando um diagnóstico precoce, e logo, o início do tratamento, antes que a síndrome se agrave para outros quadros, que prejudicam a saúde mental.

Além disso, muitos desses sentimentos são banalizados pela sociedade, que acredita ser “normal” ter uma aversão pelo trabalho.

Entre os sentimentos negativos que podem indicar o início da síndrome de Burnout, especialistas alertam para:

  • Ceticismo: O profissional acaba não dando mais valor a função, pois acha que o que faz não acrescenta nada ao trabalho ou a sua vida.
  • Insensibilidade: Tudo que acontece no ambiente de trabalho ou com os colegas não interfere em nada na sua rotina.
  • Ineficácia: Esta desmotivação acaba resultando na baixa produtividade e mesmo tendo conhecimento disso, o indivíduo não faz nada para mudar.
  • Insatisfação: As reclamações acabam sendo cada vez mais constantes, nada está bom, desde o salário, condições, ambiente, horário, entre outros.
  • Indiferença: Também não importa mais com o que faz ou acontece no trabalho, chegando a muitos casos a ser demitido pela falta de comprometimento.

Também vale destacar, que o fato de não gostar de fazer determinado ofício, pode ser um gatilho para síndrome de Burnout. Diante disto, o mais indicado é tentar buscar outra atividade, que não seja encarada com todos esses sentimentos negativos citados acima.

 

Veja também: Falta de autocuidado pode resultar em crises de ansiedade e até na síndrome de Burnout

Outros sintomas da Síndrome de Burnout

photo-1516534775068-ba3e7458af70

Com o passar dos tempos, esses sentimentos acabam se transformando em reações. As mais comuns são cansaço extremo, alterações de humor que levam a choro excessivo, dificuldade para dormir, dor de cabeça recorrente, nervosismo, problemas gástricos, pressão alta e até taquicardia.

Essas condições ainda podem se agravar para doenças mentais como ansiedade e depressão.

Em meio a estes sintomas, buscar auxílio médico, sem dúvidas, pode evitar agravações, inclusive, prejuízos profissionais.

Os tratamentos para Síndrome de Burnout incluem desde técnicas simples de relaxamento, terapias cognitivas até transformações na rotina, como por exemplo, começar novas atividades, hobbies, exercícios físicos, entre outras ações capazes de promover a distração.

Também é importante priorizar o autocuidado e autocontrole, limitando a carga horária de trabalho, caso seja possível e dedicando um tempo a mais para cuidar da saúde e bem estar.

 

 

 

5/5 - (1 vote)

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.